Operação Hammer-on: 34 investigados viram réus

A 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, aceitou a denúncia oferecida MPF contra 34 pessoas investigadas na Operação Hammer-on, que apura um esquema bilionário de crimes contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa; foram movimentados cerca de R$ 5,7 bilhões entre 2012 e 2016

A 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, aceitou a denúncia oferecida MPF contra 34 pessoas investigadas na Operação Hammer-on, que apura um esquema bilionário de crimes contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa; foram movimentados cerca de R$ 5,7 bilhões entre 2012 e 2016
A 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, aceitou a denúncia oferecida MPF contra 34 pessoas investigadas na Operação Hammer-on, que apura um esquema bilionário de crimes contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa; foram movimentados cerca de R$ 5,7 bilhões entre 2012 e 2016 (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - A 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, aceitou a denúncia oferecida na segunda-feira (18) pelo Ministério Público Federal contra 34 pessoas investigadas na Operação Hammer-on, que investiga um esquema bilionário de crimes contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa.

De acordo com as investigações, inicadas em 2015, o grupo agia  desde 2008 em Curitiba e nas regiões de Foz do Iguaçu, no oeste. Foram movimentados cerca de R$ 5,7 bilhões entre 2012 e 2016. Todos os denunciados passam a responder como réus na ação que corre em sigilo.

Segundo as investigações, com o objetivo de lavar dinheiro, os líderes do esquema usavam empresas de fachada e outras que operavam legalmente, como casas de câmbio churrascarias e postos de combustíveis, que era aplicado em contas bancárias no exterior para despistar a origem ilegal.

Os 34 réus têm 10 dias para responder a acusação e indicar testemunhas.

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247