Pimenta rebate Léo Pinheiro: foi pago para incriminar Lula

“Qual a legitimidade de uma carta remetida de dentro da cadeia, sob o controle de carcereiros e agentes da Lava Jato, que contraria todos os fatos – tantos os diálogos revelados agora como também denúncias comprovadas de que ele comprou depoimentos de executivos da OAS?”, indagou o líder do PT

247 - O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, afirmou nesta quinta-feira, 4, que o empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, teve sua delação premiada alterada várias vezes para incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foi "regiamente recompensado" por sua iniciativa. 

Para o líder, além da recompensa com a nomeação do genro Pedro Guimarães para a presidência da Caixa Econômica Federal, Léo Pinheiro tenta agora – com uma carta publicada nesta quinta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo – homologar sua delação premiada, sem apresentação de provas, para sair da cadeia.

Pimenta observou que a carta de Pinheiro enquadra-se “perfeitamente” no que os promotores, delegados e o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, querem: tentar restabelecer a imagem da Lava Jato, num momento em que vazamentos de conversas entre Moro e procuradores, reveladas pelo site The Intercept e outros veículos de comunicação, mostram como a Constituição e as leis foram rasgadas para perseguir Lula.

“Qual a legitimidade de uma carta remetida de dentro da cadeia, sob o controle de carcereiros e agentes da Lava Jato, que contraria todos os fatos – tantos os diálogos revelados agora como também denúncias comprovadas de que ele comprou depoimentos de executivos da OAS para ajustar seus depoimentos?”, indagou o líder, citando matéria do site jurídico Conjur e também carta de defesa de Lula.

Na prisão, Léo Pinheiro fabricou uma versão, depois de vários depoimentos, para incriminar Lula, e agora repete a farsa, a fim de se beneficiar novamente, observou Pimenta. (Com informações do PT na Câmara)


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247