PM define locais para manifestantes em frente à PF, em Curitiba

Com a expectativa da chegada do ex-presidente Lula, a PM-PR organiza áreas específicas para manifestantes favoráveis e contrários ao ex-presidente em frente ao prédio da Superintendência da PF em Curitiba; os dois grupos ficarão separados por um espaço de 30 metros, entre eles haverá ainda uma barreira de policiais e carros da corporação para assegurar que manifestantes não se encontrem


Com a expectativa da chegada do ex-presidente Lula, a PM-PR organiza áreas específicas para manifestantes favoráveis e contrários ao ex-presidente em frente ao prédio da Superintendência da PF em Curitiba; os dois grupos ficarão separados por um espaço de 30 metros, entre eles haverá ainda uma barreira de policiais e carros da corporação para assegurar que manifestantes não se encontrem
Com a expectativa da chegada do ex-presidente Lula, a PM-PR organiza áreas específicas para manifestantes favoráveis e contrários ao ex-presidente em frente ao prédio da Superintendência da PF em Curitiba; os dois grupos ficarão separados por um espaço de 30 metros, entre eles haverá ainda uma barreira de policiais e carros da corporação para assegurar que manifestantes não se encontrem (Foto: Leonardo Lucena)

Danyele Soares - Enviada Especial da EBC

Com a expectativa da chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Polícia Militar (PM) do Paraná organiza áreas específicas para manifestantes favoráveis e contrários ao ex-presidente em frente ao prédio da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Os dois grupos ficarão separados por um espaço de 30 metros, entre eles haverá ainda uma barreira de policiais e carros da corporação para assegurar que manifestantes não se encontrem. 

O comandante do Batalhão de Polícia de Trânsito, tenente-coronel Polak, explicou que os apoiadores de Lula ficarão próximas ao portão de acesso à Superintendência. Já os opositores deverão se concentrar do outro lado do prédio.

Segundo o comandante, a medida serve para evitar confrontos e permitir que possam se manifestar. “Tudo isso é para que eles não se misturem, não fiquem  se degladiando, porque não é isso que nós queremos. A democracia diz que todos nós temos a liberdade de expressão”, disse. O militar não revelou o número de policiais que devem trabalhar na operação por questões de segurança.

A determinação foi negociada com grupos a favor de Lula que se encontram no local desde a manhã.  A PM evitou dar uma estimativa de manifestantes no local. O comandante informou também que assim que grupos contrários ao petista chegarem na Superintendência serão encaminhados para o local destinado a eles.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247