Preso na Lava Jato, Vaccarezza é interrogado pela PF em Curitiba

Detido na sexta-feira (18), no âmbito da Operação Abate, 44a fase da Operação Lava Jato, o ex-deputado Cândido Vaccarezza foi interrogado pela Polícia Federal nesta segunda-feira (21); Vaccarezza é suspeito de ter recebido R$ 400 mil em recurso ilícito para facilitar a contratação de empresas estrangeiras pela Petrobras

O ex-deputado federal Candido Vaccarezza
O ex-deputado federal Candido Vaccarezza (Foto: Charles Nisz)

Agência Brasil - O ex-deputado federal Cândido Vaccarezza foi interrogado pela Polícia Federal (PF) na tarde de hoje (21), em Curitiba. Ele está detido na carceragem da PF na capital paranaense desde que foi preso, na última sexta-feira (18), durante a Operação Abate, a 44ª fase da Operação Lava Jato.

Vaccarezza é suspeito de ter recebido recurso ilícito para facilitar a contratação de empresas estrangeiras pela Petrobras. A PF e o Ministério Público Federal (MPF) afirmam que ele teria recebido cerca de US$ 430 mil em propina para cada contrato celebrado entre a petrolífera e a Sargeant Marine, dos Estados Unidos, entre 2010 e 2013.

Segundo a investigação, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o Partido dos Trabalhadores (PT) foram os outros beneficiários das propinas pagas nesse esquema. A ação criminosa resultou na celebração de doze contratos entre a Petrobras e a Sargeant Marine, que renderam cerca de US$ 180 milhões à empresa norte-americana.

Durante a deflagração da Operação Abate, os agentes encontraram cerca de R$ 122 mil em espécie na casa do ex-deputado. No momento da prisão, ele não soube justificar a origem do dinheiro. O interrogatório de Vaccarezza começou às 14h. A PF informou que não vai divulgar o conteúdo da inquirição à imprensa.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247