Requião: o que se combate hoje no Brasil é o New Deal

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que o que se assiste hoje no Brasil é a construção do "estado mínimo"; "Estamos vendo a redução do Brasil a um produtor de commodities, ou seja, o celeiro do mundo onde o povo passa fome. E a destruição completa da nossa economia, com o fim da indústria", disse Requião em entrevista ao jornalista Mino Carta; ele lembra que em 1943, quando o presidente americano Franklin Delano Roosevelt esteve no Brasil, ele disse que o "new deal", a série de programas para recuperar a economia americana, era uma criação dele e do presidente Getúlio Vargas; "Getúlio com a CLT, salário mínimo, seguridade social, era o Brasil industrializado", afirmou; "Então o que se combate hoje no Brasil é o news deal"

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que o que se assiste hoje no Brasil é a construção do "estado mínimo"; "Estamos vendo a redução do Brasil a um produtor de commodities, ou seja, o celeiro do mundo onde o povo passa fome. E a destruição completa da nossa economia, com o fim da indústria", disse Requião em entrevista ao jornalista Mino Carta; ele lembra que em 1943, quando o presidente americano Franklin Delano Roosevelt esteve no Brasil, ele disse que o "new deal", a série de programas para recuperar a economia americana, era uma criação dele e do presidente Getúlio Vargas; "Getúlio com a CLT, salário mínimo, seguridade social, era o Brasil industrializado", afirmou; "Então o que se combate hoje no Brasil é o news deal"
Senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que o que se assiste hoje no Brasil é a construção do "estado mínimo"; "Estamos vendo a redução do Brasil a um produtor de commodities, ou seja, o celeiro do mundo onde o povo passa fome. E a destruição completa da nossa economia, com o fim da indústria", disse Requião em entrevista ao jornalista Mino Carta; ele lembra que em 1943, quando o presidente americano Franklin Delano Roosevelt esteve no Brasil, ele disse que o "new deal", a série de programas para recuperar a economia americana, era uma criação dele e do presidente Getúlio Vargas; "Getúlio com a CLT, salário mínimo, seguridade social, era o Brasil industrializado", afirmou; "Então o que se combate hoje no Brasil é o news deal" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que o que se assiste hoje no Brasil é a construção do "estado mínimo".

"Nesse trabalho do Sérgio Moro e dos procuradores federais, jós estamos vendo a construção do estado mínimo, a redução do Brasil a um produtor de commodities, ou seja, o celeiro do mundo onde o povo passa fome. E a destruição completa da nossa economia, com o fim da indústria", disse Requião em entrevista ao jornalista Mino Carta, da Carta Capital. 

Segundo Requião, em 1980, o Brasil produzia industrialmente mais do que a Tailândia, a Malásia, a Coreia do Sul e a China. "Hoje nós não produzimos 10% do que eles produzem. E a financeirização da economia foi acabando com o processo de crescimento industrial brasileiro", afirmou. "Eu vejo a política do Meirelles hoje como a política do Joaquim Levy multiplicada por dez", acrescentou.

Ele lembra que em 1943, quando o presidente americano Franklin Delano Roosevelt esteve no Brasil, ele disse que o "new deal", a série de programas para recuperar a economia americana, era uma criação dele e do presidente Getúlio Vargas. "Getúlio com a CLT, salário mínimo, seguridade social, era o Brasil industrializado", afirmou. "Então o que se combate hoje no Brasil é o news deal".

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247