TRF mantém prisão preventiva de Renato Duque

Primeira Turma Especializada do TRF da 2ª Região decidiu, por dois votos a um, manter a prisão preventiva do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; ele responde a ação penal por corrupção passiva e associação criminosa, por suspeita de receber US$ 1 milhão em vantagem indevida para favorecer a contratação da empresa holandesa SBM Offshore pela Petrobras

Brasília- DF- Brasil- 19/03/2015- Ex-diretor da Petrobras Renato Duque presta depoimento em CPI na Câmara dos Deputados (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília- DF- Brasil- 19/03/2015- Ex-diretor da Petrobras Renato Duque presta depoimento em CPI na Câmara dos Deputados (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala, da Agência Brasil - O Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região decidiu manter a prisão preventiva do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. A decisão foi tomada ontem (12), por dois votos a um, pela Primeira Turma Especializada do TRF, segundo informações divulgadas hoje pela Procuradoria Regional da República.

Duque responde a ação penal por corrupção passiva e associação criminosa. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), ele é acusado de receber US$ 1 milhão (cerca de R$ 3,5 milhões no câmbio atual) em vantagem indevida para favorecer a contratação da empresa holandesa SBM Offshore pela Petrobras. O esquema foi descoberto durante a Operação Lava Jato.

Segundo a Procuradoria Regional da República, há fortes indícios de crime cometido e, em função de contatos políticos e recursos financeiros que Duque tem a sua disposição, há risco de que ele "se furte à aplicação da lei penal", diz a nota do MPF.

Segundo o Ministério Público, a defesa tinha entrado com um pedido de habeas corpus com a justificativa de que Duque não oferece risco, uma vez que ele está afastado da Petrobras desde 2012.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247