Contrariando Anvisa, promotoras do Ministério Público do DF chamam de ‘experimental’ vacinação de crianças

Classificação foi escrita em recomendação enviada à Secretária de Educação do governo Ibaneis Rocha

www.brasil247.com -
(Foto: Divulgação)


247 - Contrariando Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), duas promotoras de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal  classificaram a vacinação de crianças contra a covid-19 como "experimental" em recomendação enviada à Secretária de Educação do governo Ibaneis Rocha. 

A imunização de crianças de 5 a 11 anos contra a doença foi autorizada pela Anvisa em dezembro, quando foi aprovado o registro definitivo da vacina Cominarty, da Pfizer, para a faixa etária.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No documento com data desta terça-feira (18), as promotoras Cátia Gisele Martins Vergara e Márcia Pereira da Rocha fundamentam a alegação sobre a vacina para crianças citando resolução publicada pela Anvisa em março de 2021. O documento diz estabelecer “os procedimentos e requisitos para submissão de pedido de Autorização Temporária de Uso Emergencial (AUE), em caráter experimental, de medicamentos e vacinas Covid-19”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email