Tá nos trends

Papa vira alvo de extremistas brasileiros e é chamado de “anticristo” após legalização do aborto na Argentina

"O Papa comunista já deu sua opinião sobre o aborto, esse Papa é anticristo", escreveu um deles no Twitter. Papa Francisco ficou entre os temas mais comentados na rede social

www.brasil247.com - Papa Francisco durante missa no Vaticano
Papa Francisco durante missa no Vaticano (Foto: REUTERS/Remo Casilli)


Sputnik - Com a legalização do aborto na Argentina, quem acabou entrando na lista de cancelamento foi o Papa Francisco, que está sendo chamado de "anticristo" por cristãos brasileiros.

Na madrugada desta quarta-feira (30), o Senado argentino aprovou a legalização do aborto nas primeiras 14 semanas de gestação, colocando a Argentina na lista dos poucos países latino-americanos com aborto legal.

Na terça-feira (29), antes da descriminalização do aborto ser aprovada na Argentina, o Papa Francisco divulgou em tweet que "todo descartado é filho de Deus".

​A legalização do aborto na Argentina não está sendo bem recebida por cristãos brasileiros, que decidiram cancelar o Papa Francisco.

​Há quem diga que o Papa Francisco está "comemorando".

​"Não tem influência."

​O Papa é "anticristo"?

​Tem gente que está aproveitando para levantar outros temas provocantes.

​Em contramão, há muitos brasileiros elogiando o Papa Francisco por mostrar uma "oposição civilizada".

​Aquela comparação Brasil-Argentina.

​O assunto "Papa" é o mais comentado nesta quarta-feira (30) no Brasil, com mais de 200 mil tweets. Não é a primeira vez que o pontífice bomba no Twitter.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email