A caneta do mal e a boca maldita

Não haverá golpe. Entretanto, até janeiro o inconformismo baderneiro pode ocorrer



O governo bolsonarista cortou 3 bilhões da educação, R$ 1,7 bi da ciência e R$ 1,6 bi da saúde, comprometendo o presente e o futuro do Brasil.

Bolsonaro é assumidamente inimigo da educação, da saúde, da ciência e do povo nordestino.

Tudo que o governo Lula fez em favor dessas áreas ele está destruindo. 

A sua sanha para apagar as políticas públicas do governo Lula em favor do povo é inesgotável. E quando se trata de obra, ele reafirma a sua cara dura, a do pinóquio, e assume como sua, como ocorreu com um trecho final da transposição do rio São Francisco. 

As declarações de expoentes da direita e do centro de voto em Lula, confirmam que o voto útil no primeiro turno não ocorreu, porque não queriam o seu empoderamento já no primeiro turno, visto que, na ocasião, as suas moedas não teriam o mesmo valor que agora.  

O chamado mercado, por sua vez, está pouco se lixando para a democracia, embora esta é que dá segurança à economia, o que deseja é continuar com a mesma licenciosidade para especular, aproveitar das privatizações, das isenções de lucros e dividendos, da manutenção de um imposto de renda que sacrifica a classe média e praticamente isenta a classe alta e os bilionários, por isso, insiste em nomear o ministro da fazenda e também em querer detalhamentos do programa econômico Lula/Alkmin.

Essa onda leva angus economistas de direita e até tecnocratas de esquerda a fazerem coro. Ocorre que não será esse detalhamento que servirá de contrato social com o povo eleitor. O necessário, essencial e transparente, é definir metas positivas e assumir realizá-las dentro de um cronograma viável.    

Metas de emprego, de moradia, de saúde, educação, tecnologia, obras e ferrovias, dos combustíveis e energia que afetam a cadeia de produção e a comida na mesa do trabalhador.

Com respaldo no que foi realizado no passado, que lhe dá credibilidade, apontar para o futuro, que é a angústia da sociedade, notadamente dos mais carentes.

O mercado já tem o Banco Central sob seu comando, desejar também a administração da economia, é retirar do governo as rédeas para fazer o país crescer com distribuição de renda.  

Já é uma esquizofrenia ter a política monetária independente da gestão econômica, pois são partes de um todo, ou seja: da economia política. Não devem andar separadas, sem influência mútua, e para isso a direção deve estar na política, através do estabelecimento de metas positivas, ofensivas, e não, como até o presente, em parâmetros defensivos, como o da inflação e câmbio. 

Quanto ao mi, mi, mi, de suspeição do resultado eleitoral é canção para o gado dormir, não cola mais, pois foi o mesmo sistema que elegeu os bolsonaristas governadores, senadores e deputados. 

Não haverá golpe. Entretanto, até janeiro o inconformismo baderneiro pode ocorrer. Exigirá a militância nas ruas, comemorando a vitória até o dia da posse e da irredutível defesa constitucional da democracia pelas instituições.  

O genocida que já debochou do povo amazonense, imitando a falta de ar, chamou agora o nordestino de burro, acontece que o sangue nordestino corre nas veias não somente dos que moram no Nordeste, mas também de brasileiros que residem em outros estados do Brasil, que esse sague irrigue as mãos de todos os nordestinos e apertem o 13 da esperança, Lula presidente, com muita vontade para voltarmos a sorrir num país de um único povo: o brasileiro. 

A bravura dos nordestinos levará de 70% para 90% de votos para Lula na região, como lição ao beócio da caneta do mal e da boca do preconceito, brevemente despejado, com a força do povo, do palácio do Planalto.     

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247