A grande lição que vem da Argentina

Minha intenção é olhar o tamanho da gravidade do problema que estamos vivendo e do que ele tende a se transformar, fazendo uma comparação mais local

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Quando me perguntam sobre como fazer para definir o que é certo e errado na política, eu respondo que a comparação deve ser o parâmetro. Sempre.

Não é possível estabelecer relação com um lado na política se eu não tiver como comparar pontos de vista diferentes e ver a prática destes pontos de vista.

Na Argentina, temos uma população de 44,5 milhões de pessoas. É a segunda maior população da América do Sul, perdendo apenas para o Brasil. O mesmo se aplica ao território.

Já no Brasil, chegamos ao TERCEIRO LUGAR NO MUNDO, em CASOS CONFIRMADOS de COVID19, estando à nossa frente as duas superpotências econômicas, Rússia e Estados Unidos.

Mas a minha intenção é olhar o tamanho da gravidade do problema que estamos vivendo e do que ele tende a se transformar, fazendo uma comparação mais local.

A partir de uma publicação da minha companheira, professora Bete Siraque, vereadora do PT de Santo André, no ABC Paulista, que fez a mesma comparação entre as cidades do ABC e a Argentina.

Então, pesquisei nas cidades os números do Coronavírus, tendo como fonte os dados oficiais das prefeituras de Cotia, (minha cidade), Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira, Itapevi, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus e Vargem Grande Paulista, com os números de casos de COVID19 do dia 18/05/2020.

Se a comparação for o número de contaminados, então, essa de fato, e sem trocadilhos, será a maior de todas as derrotas do povo brasileiro. Os Argentinos acabaram de sair de uma eleição, também polarizada e com visões distintas entre progressistas e conservadores, entre direita e esquerda! Lá, a esquerda progressista venceu.

Mas ao contrário do que ocorre na estupidez da direita brasileira, os conservadores e a direita argentina não tentaram boicotar o presidente e o acompanharam nas decisões de isolamento social, de quarentena e cuidados com o seu povo frente à COVID19.

Aqui, temos um presidente, que até a presente data, não teve a capacidade de se reunir com TODOS os governadores do país para propor um protocolo COMUM! Também não se dignou a convocar uma reunião com TODOS os prefeitos de capitais para fazer a mesma coisa.

Se fosse minimamente decente, Bolsonaro já teria se reunido em cada uma das cinco regiões brasileiras, com todos os prefeitos de cidades com mais de 200.000 habitantes e proposto uma unidade na ação de combate ao coronavírus.

Ao invés disso, desgraçadamente, esse insano fica todos os domingos fazendo do Palácio do Planalto um corró, para ver o gado zumbi destilar seu ódio. Bolsonaro se alimenta disso. Se alimenta de uma disputa desvairada, sem tomar medidas que protejam nossa sociedade.

A grande diferença entre Brasil e Argentina não é o futebol. São os governantes. A Argentina tem um Exército que sabe onde é seu lugar. O quartel. E não essa coisa ultrajante para as forças armadas brasileiras de ficar servindo de tabuleta de Bolsonaro.

Os números dão a dimensão disso! A Argentina se isolou. Sua população compreendeu a gravidade do Coronavírus, e Alberto Fernández, resolveu ser presidente de todos os argentinos e não apenas de seus eleitores! Já no Brasil, Jair Bolsonaro resolveu ser animador de uma escumalha de patifes. A faixa presidencial se tornou uma alegoria de palhaço do mal e atingimos hoje a marca de 254.200 casos CONFIRMADOS de CORONAVÍRUS, com 16.792 vidas que nenhuma economia jamais poderá recuperar.

A Argentina, com o mesmo tempo de CORONAVÍRUS, que o Brasil, e hoje tem 8.055 infectados e 373 mortos. Para se ter uma dimensão e compararmos o que isso significa, a Região Oeste da Grande São Paulo, sendo Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira, Itapevi, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus, mais as cidades de Cotia e Vargem Grande Paulista. Somadas, estas cidades tem uma população total de aproximadamente 2.174.000 pessoas. E aqui, começa o terror! Na Argentina, a população é de 44.500.000 pessoas. Ou seja, apenas nessa região, temos 5% da população argentina, e temos hoje, dia 18.05.2020, um numero 21% maior de mortos que toda a Argentina.

Enquanto temos 254.220 contaminados oficialmente reconhecidos, a Argentina tem 8.055. Ou seja, 3.056% de diferença!! Isso é comparar o que significa a irresponsabilidade do voto. Ainda choraremos profundamente essa decisão! Há quem diga que nosso calvário apenas começou.

gráfico 1

 

gráfico 2

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247