A hora não é de desespero. Muito pelo contrário

Para o colunista Vivaldo Barbosa, "o que parece que continua forte no apoio ao governo é a máquina de fabricação de mentiras e publicidade disseminadas nas redes sociais com muita intensidade"

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)


Muitos expressam tristeza, aborrecimento e se surpreendem diante de pesquisas que apontam que Bolsonaro aumenta seu prestígio junto ao povo.

Não é nada agradável, claro, embora o grosso desse apoio venha dos 600 reais de ajuda, o que é algo superficial, passageiro, pois não vai continuar, como já anunciam. E não há sinais de melhora na economia, geração de emprego e ganhos que, sim, sustentariam prestígio até as eleições de 2022. O que parece que continua forte no apoio ao governo é a máquina de fabricação de mentiras e publicidade disseminadas nas redes sociais com muita intensidade.

São os desafios da luta política em prol da soberania e dos direitos do nosso povo. Luta permanente para superar a pesada e cruel herança do colonialismo e da escravidão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A geração que orientou a política no Brasil a partir da Revolução de 1930, aproveitando do desgaste e deterioração da chamada República Velha, estrutura de poder assentada nas oligarquias rurais, produziu transformações acentuadas na estruturação do Estado Nacional (capacidade de intervenção na economia, criação de estatais estratégicas); no campo dos direitos (legislação trabalhista e Previdência Social) e a ideia do desenvolvimentismo, a capacidade do Brasil e do povo brasileiro superar o atraso. Tempos mais tarde, João Goulart tentou as REFORMAS DE BASE, na busca de uma transformação ainda mais acentuada, até ser golpeado em 1964.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com o desgaste dos militares, mobilizou-se o povo pelas Diretas Já, mas perdemos o bonde na eleição presidencial, dando espaço para a fabricação do caçador de marajás, o Collor. Embora tenhamos feito uma Constituição, com alguns problemas, como no Judiciário, mas mais nossa do que deles. Com o desgaste do FHC e do neoliberalismo, o setor popular ganhou quatro eleições com Lula e Dilma.

Os governos de Lula e Dilma foram exitosos, tanto que foram reeleitos. Êxito fugaz, porque não enfrentou a estrutura de poder montada desde o colonialismo e a escravidão, não realizou transformações mais a fundo. Nos acovardamos diante da mídia, do Judiciário e do Ministério Público. Não cuidamos da democratização da mídia, deixamos o Judiciário e Ministério Público atuarem como agentes políticos. Não mobilizamos o povo brasileiro para a defesa dos seus interesses, nem procuramos colocar as Forças Armadas ligadas ao sentimento da nacionalidade e à compreensão dos objetivos superiores da nação. Juntaram-se os meios de comunicação, Judiciário e Ministério Público e se aliaram aos grupos econômicos daqui e de fora, acarretando a derrubada de uma presidente eleita e honrada e gerando o projeto mais conservador, mais direitista e mais atrasado de nossa história, o governo Bolsonaro. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O esquema que gerou o governo Bolsonaro entrou em desgaste, o conservadorismo perdeu pernas. O PSDB revelou-se como grande farsa da social democracia, setores da mídia se dividem, surgem áreas assustadas com o ambiente autoritário que avança, está mais difícil sustentar o pensamento único neoliberal diante do atraso na economia e do aumento das injustiças e da miséria. A personalidade atrabiliária e a incompetência do Bolsonaro não mais agradam, mas não conseguem se livrar dele, nem arranjar um substituto. Como o resultado do feroz combate às políticas populares e nacionalistas dos governos PT, embora não tão profundas, foi a eleição e o governo Bolsonaro, o conservadorismo ainda não se recuperou de maneira capaz de oferecer algo para o Brasil. Veja agora na questão do veto ao reajuste dos servidores: elogiam Rodrigo Maia e deixam Bolsonaro de lado.

Por isso é que a popularidade de Bolsonaro não deve preocupar tanto. Ele continua aglutinando o grosso das forças conservadoras, mais franjas de enganados do setor popular. Antes assim. É melhor enfrentá-lo como principal portador do conservadorismo, é mais fácil derrotá-lo.

A luta continua dura, claro, a força do poder econômico é incalculável, a capacidade deles de mobilizar os meios de comunicação e de utilizar as redes sociais de maneira massiva com todas as distorções e mentiras continua preocupante. Precisamos nos munir da sabedoria política para unir o povo brasileiro em torno de uma mensagem que lhe seja cara. Esta mensagem tem que refletir o que já se fez de bom nesta nação: a implantação dos direitos do povo brasileiro, como a legislação trabalhista e a Previdência Social, e a afirmação da soberania, mais as políticas sociais de Lula e Dilma de superação da pobreza e da miséria e avanços na educação. O trabalhismo e o lulismo. Para tanto, precisamos de ajudar a fortalecer um partido de massas ramificado e organizado em todo o país e de uma liderança capaz de se comunicar e mobilizar o povo brasileiro. Lula e o PT nos oferecem esta oportunidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os ingredientes estão dados e disponíveis. Vamos em busca da sabedoria política de torná-los úteis e vitoriosos. Pois é possível derrotar, mais uma vez, o conservadorismo.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email