A marcha da família com Bolsonaro e com todo o tipo de preconceito

Mais vergonhoso ainda, é perceber que essa liturgia misógina e preconceituosa, fez parte do roteiro de uma “Marcha da Família com Bolsonaro”, e foi acompanhada com devoção por centenas de mulheres, que dizem amém para o desrespeito cometido contra elas mesmas

Dia sim, dia também,  as configurações de vergonha alheia dos seguidores do candidato inominável, são atualizadas com sucesso. A última versão nos dá a exata noção, de como as mulheres seriam tratadas no seu governo. Principalmente, as que se opõe a sua ideologia. Já é de conhecimento público,  que um idiota não se envergonha das idiotices que fala e pratica. Pelo contrário, elas o enche de orgulho e vaidade. Nelson Rodrigues já nos alertara que eles poderiam dominar o mundo. Acho que ele tinha razão.

Aliás, parece que ser idiota é uma condição si ne qua non para ir atrás de um trio elétrico, cuja  música que embala a multidão é uma ode ao machismo, a misoginia e a todo e qualquer outro tipo de desrespeito a mulher. Como homem e pai de uma menina, eu me sinto envergonhado por pertencer ao mesmo gênero, que um sujeito que “anima” o comício de seu candidato com versos como: "Dou para CUT pão com mortadela e para as feministas, ração na tigela. As minas de direita são as top mais belas, enquanto as de esquerda, têm mais pelo que cadela." Que vergonha! 

Mais vergonhoso ainda, é perceber que essa liturgia misógina e preconceituosa, fez parte do roteiro de uma “Marcha da Família com Bolsonaro”, e foi acompanhada com devoção por centenas de mulheres, que dizem amém para o desrespeito cometido contra elas mesmas. De certo, algumas mulheres de direita, em especial, aquelas que se uniram à turma do gargarejo para cantar algo tão hostil e odioso, devem se perceber diferente das outras. Talvez, se julguem mais femininas ou se considerem mais bem aceitas por parte dos machistas, por se alinharem com a ideologia deles. 

O tal evento, que também pode ser chamado de “A marcha dos idiotas”, aconteceu na avenida Boa Viagem, no Recife, cidade do saudoso político Miguel Arraes, um homem que sempre defendeu a democracia e a igualdade. É claro, que essa turma não representa o pensamento do querido povo do estado de Pernambuco. Graças a Deus! Quem quiser conferir um pouco do que rolou na festa familiar recifense, clica no link.

Você vai poderá ouvir outros trechos da canção, que também diz que “Bolsonaro casou com a Cinderela” e “Maria do Rosário não sabe lavar panela”, o que deixa claro que no pensamento do candidato e de seus apoiadores, lugar de mulher é na cozinha. O rebuceteio da família tradicional brasileira, já está passando dos limites. A confusão moral a qual os valores cristãos dessa gente estão submetidos, é de escandalizar o mais fiel ateu.  A orgia promovida pelo conservadorismo, revela um prazer sádico, regado a muita hipocrisia e tendo a Bíblia adaptada ao seu gosto, como Kama Sutra. 

Mas, eles podem tudo. Sob a égide da defesa da moral e dos bons costumes, eles se acham no direito de humilhar quem pensa diferente, expondo num museu a céu aberto todo o seu preconceito e arrogância, como se fosse uma obra de arte barroca. Que ninguém ouse dizer que eles incitaram ódio ou que estavam sendo machistas. Imagina! Eles têm direito a liberdade de expressão e manifestam-se da maneira que o limite da sua criatividade e de seu caráter controverso, permitem. Dessa forma, desqualificam o outro, para enaltecerem  virtudes que só eles enxergam em si mesmos.

Eu não sei se o candidato inominável casou-se com uma Cinderela e isso também não me diz respeito, por se tratar de algo pessoal, e, que, portanto, não vem ao caso. Mas, se a intenção era fazer uma associação entre ele e o príncipe encantado, que libertou a mocinha do conto da opressão da madrasta, a vergonha alheia é ainda maior. Afinal, ele é o exemplo a não ser seguido, por qualquer homem que queira conquistar uma mulher e tratá-la com o mínimo de respeito. Ainda bem que a Cinderela teve melhor sorte. A da Disney, é claro. 

Bolsonaro não esteve presente na marcha em sua homenagem. Ele foi representado por um homem que usava uma máscara com o seu rosto. Esse deve ter sido o único fator positivo do evento, se levarmos em conta que o “boneco” não poderia falar por ele. A prova de que as coisas andam piorando, é que marcha da família sempre foi com Deus, e, agora, é com Bolsonaro. Ou Deus proibiu o uso de seu santo nome no evento ou ele já foi substituído por outro Messias salvador. O que não me causaria espanto, levando-se em conta os valores cristãos do presentes na marcha.

Gente de bem que compara mulheres a cadelas e lhes oferecem ração. Gente que coloca “Deus acima de tudo”, e tenta colocar uma de suas mais belas criações, abaixo do nada. Bolsonaro, de fato, é o deus dessa gente. Um simulacro de besta apocalíptica, que veio para enganar, se possível, até os escolhidos. Torna-se cada vez mais inadmissível, a aceitação de tal discurso. Ele é contrário aos valores humanos, éticos, e, principalmente, cristãos. Reduzir a existência feminina, à sua beleza exterior ou a seus predicados domésticos, é ter uma visão objetificada e limitada do ser humano.

E quem disse que as mulheres de direita são as belas? Toda mulher é bonita, estando em qualquer lado,  em qualquer posição, sob qualquer ideologia política, pertencendo a qualquer etnia, religião ou classe social.  Feio é apoiar o fascismo, incitar o ódio, propagar a violência e inferiorizar o seu semelhante. E não há beleza exterior que esconda tamanha escuridão do pensamento. Para os fascistas, toda mulher é feia, suja, puta e desprezível, se não for de direita e não se submeter ao seu machismo idiota e irracional. Homem que é homem, sabe respeitar as mulheres. Mulher que é mulher, não se deixa desrespeitar.

Homens e mulheres unidos contra Bolsonaro.

Não passará! Ele Não!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247