A pirataria, muito mal disfarçada, na Petrobrás

"O ataque à Petrobrás trazido pelo golpe decorreu da sua eficiência, e da ganância dos países ricos em busca de novas jazidas de petróleo"

www.brasil247.com - Petrobrás
Petrobrás (Foto: Reuters)


No primeiro trimestre deste ano a Petrobrás apresentou indicadores de desempenho excelentes. O lucro líquido atingiu R$ 44,5 bilhões, a geração de caixa operacional EBITDA [Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização, na sigla em inglês] chegou a R$ 78,2 bilhões. Esses resultados estão relacionados ao fato de que, no primeiro trimestre, a média do preço do barril de petróleo (Brent) de US$ 101, foi a mais elevada desde o primeiro trimestre de 2014, quando a referida média foi US$ 108. 

O golpe de 2016 foi perpetrado, dentre outras razões, para colocar a Petrobrás no bolso dos especuladores, especialmente os estrangeiros. Com a farsa do impeachment, nem bem assumiu, Michel Temer tratou de aprovar a política de Preço de Paridade de Importação (PPI), que há quase seis anos aumenta o preço dos derivados do petróleo muito acima da inflação. Além de seguir a variação do preço do petróleo no mercado internacional, a PPI considera o custo em dólar e de frete, para definição dos preços dos derivados. É como se o Brasil não produzisse petróleo e tivesse que importar todos os combustíveis que consome. O PPI é uma fórmula para garantir lucros exorbitantes aos especuladores, ao mesmo tempo em que os brasileiros pagam um dos combustíveis mais caros do mundo (os que ainda conseguem). 

Na tabela abaixo, o economista Eduardo Costa Pinto, do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep), mostra a desproporção dos números da Petrobrás, comparados com os das principais companhias de petróleo do mundo. Como vemos, o lucro líquido da Petrobrás no primeiro trimestre foi quase 5 vezes superior à média das principais petroleiras. A margem líquida e os dividendos da estatal brasileira ultrapassam em muitas vezes os números das outras companhias. Enquanto a média de dividendos, em relação ao lucro líquido, das demais, é 37,1%, na Petrobrás é 108,8%.   

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
petrobras-grafico-

Esses ganhos exorbitantes dos especuladores estão diretamente relacionados à política do PPI, ou seja, a população brasileira paga preços absurdos pelos derivados do petróleo, para garantir os maiores lucros da história da Companhia. Porém, esses lucros não servem à população, indo diretamente para o bolso dos parasitas e especuladores.  No último dia 05 o Conselho de administração da Companhia anunciou a distribuição de dividendos de R$ 48,5 bilhões aos acionistas, em valores aproximados. Enquanto uma parcela significativa da população mais pobre, está tendo que usar lenha para cozinhar, em função da impossibilidade de comprar gás de cozinha, o sistema financeiro e os especuladores em geral, têm a vida que pediram a Deus. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Brasil é uma potência petrolífera, capaz de prospectar, perfurar, extrair, refinar e distribuir o petróleo, como a descoberta da maior jazida do terceiro milênio, anunciada em 2006, demonstrou. Mas isso não faz a menor diferença para o bem-estar do povo brasileiro. Como o preço interno dos combustíveis está atrelado à variação internacional do petróleo, e à variação do dólar, os brasileiros pagam pelos derivados do petróleo como se recebessem seus salários em dólares. Com essa política de aumento de preços dos derivados, é como se o Brasil não produzisse petróleo, e tivesse que importar 100% dos derivados que consome. Mesmo sendo autossuficiente na produção e utilizando majoritariamente petróleo nacional nas refinarias. 

O país dispõe de uma das maiores reservas de petróleo no mundo, e é um grande produtor, com elevada produtividade no setor. Ao mesmo tempo a direção entreguista da Petrobrás está vendendo as refinarias, para tornar o país apenas um exportador de petróleo cru e depender cada vez mais de importações de derivados, principalmente dos EUA, país que coordenou o golpe. Quando a cotação do barril de petróleo aumenta internacionalmente (como neste momento), quem lucra não é o brasileiro pobre, que está passando fome, e sim os especuladores da Bovespa e da Bolsa de Valores de Nova York. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No seu primeiro pronunciamento à imprensa como ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida falou que seu primeiro esforço à frente da pasta será trabalhar pela privatização da Petrobrás. Afirmou que, para isso, conta com "100% de aval" de Bolsonaro. Disse também que incluirá o pré-sal nos planos de venda da Petrobrás. Após a demissão do ministro anterior, as ações da Petrobrás se valorizaram, pois os especuladores perceberam que a demissão de Bento Albuquerque foi uma estratégia de Bolsonaro para se desvincular dos aumentos de preços. Sabem, portanto, que a orientação da companhia não irá mudar substancialmente - se mudar, será para pior, ou seja no sentido da aceleração para a privatização total. 

O sonho dos golpistas de 2016, incluindo quem entrou por fraude em 2018, é privatizar completamente a Petrobrás. Se conseguirem o intento, não será apenas o maior roubo da história do país, mas um acontecimento de grande simbolismo político, já que a saga por uma empresa pública de petróleo foi a grande luta nacional da história do povo brasileiro. Em boa parte, a Petrobrás já foi privatizada no governo de Fernando Henrique Cardoso: a União detém 50,50% das ações ordinárias, o que garante o controle formal da empresa, porém é dona de apenas 34,70% das ações preferenciais, que têm a primazia na distribuição dos dividendos. 

A Petrobrás é a zeladora constitucional da maior riqueza do povo brasileiro, que são as reservas de petróleo e gás do pré-sal. Essas reservas estão estimadas em até 43,8 bilhões de barris de óleo recuperável. O montante equivale ao triplo das atuais reservas provadas, o que representa petróleo que não acaba mais. Ao invés dos lucros impressionantes da empresa serem destinados às necessidades do povo brasileiro, como previa a Lei de Partilha (que foi desmontada nas primeiras ações dos golpistas em 2016), a Petrobrás está destinando todos os ganhos aos especulares, em boa parte estrangeiros.  Como sempre se soube, a empresa é uma verdadeira mina de ouro e sempre deu lucro. Por isso deram o golpe para, também, saquear a empresa. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O lucro da Petrobrás poderia servir para a melhoria de vida do povo, ser investido em saúde e em educação, como previa a Lei de partilha. Estes bilhões de lucros, que, são recorrentes ao longo dos anos, poderiam ser investidos em um programa para eliminar o déficit habitacional do Brasil, o que, combinado com um programa geral, tenderia a abrir um novo ciclo de desenvolvimento e geração de emprego (apesar da crise estrutural do capitalismo ao nível internacional). 

A Petrobrás é uma das empresas mais eficientes do mundo e dispõe de tecnologia para cumprir todas as etapas de disponibilização do petróleo para o consumo interno e ainda exportar derivados. O ataque à Petrobrás trazido pelo golpe decorreu da sua eficiência, e da ganância dos países ricos (coordenados pelos EUA), em busca de novas jazidas de petróleo. E o pré-sal é a maior jazida descoberta neste milênio, até o momento. O que ocorre na Petrobrás a partir do golpe, é um roubo, puro e simples. Querem extrair o máximo do “animal” capturado. É uma forma de pirataria, muito mal disfarçada, em pleno século XXI. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email