A seita fanática de Jair Bolsonaro

A função de Jair Bolsonaro é manter aceso o pacote de pensamentos imbecis e abilolados que une determinados indivíduos instrumentalizados a serviço do projeto de colonização e enriquecimento da elite dominante, nem que para isso tenham que defender o fechamento do STF e do Congresso Nacional

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Clichês, caneladas, exploração da ignorância e do obscurantismo. O governo Jair Bolsonaro sustenta-se pela coesão e mobilização dos fanáticos, na medida em que faz o jogo sujo do financismo internacional. Diariamente, em qualquer situação que o encurrale, sempre tenta antagonizar com o PT e com a esquerda para mobilizar a cultura da casa-grande em torno dos objetivos do antinacionalismo, do mercado financeiro e dos banqueiros.

Quando fala da fome, é para dizer que ela não existe no Brasil. Para não perder Ibope com a bolha reacionária, não se preocupa com a pobreza, com o desemprego, com o meio ambiente e com o trabalhador. Para deleite de seus fanáticos seguidores, só se lembra do pobre quando fala da polícia.

Foi eleito e se mantém no governo porque aceitou o projeto de colonização do Brasil, sempre atuando como o preposto de uma pequena parte de privilegiados: banqueiros, grileiros, grandes empresários.

Desde a campanha eleitoral, nunca possuiu absolutamente nenhum projeto de nação, a não ser destruí-la.

Enquanto outros países estão se organizando para proteger suas riquezas, Bolsonaro entrega o Brasil para mercenários.

Nesse contexto, Jair Bolsonaro, apesar de estar mais para Bobo da Corte, é muito importante para a elite de rapina porque deixa o incompetente e atabalhoado Paulo Guedes livre para empurrar o projeto ultraliberal radical, liquidar todo o nosso patrimônio, entregar as nossas riquezas naturais e destruir nossos direitos e nossa seguridade social construída em décadas de lutas e sofrimento do povo brasileiro.

Mas não é só. Bolsonaro tem a missão de atuar pessoalmente para manter os antipetistas unidos, coesos, lobotomizados e fanáticos, fenômeno que ganhou relevância a partir das manifestações de 2013, no contexto da Guerra Híbrida, e que fez um determinado grupo aceitar, apoiar e lutar pelos interesses exclusivos da elite de rapina, leia-se, financistas e banqueiros, nem que para isso sacrifique seus próprios corpos e liberdades.

Assim, a função de Jair Bolsonaro é manter aceso o pacote de pensamentos imbecis e abilolados que une determinados indivíduos instrumentalizados a serviço do projeto de colonização e enriquecimento da elite dominante, nem que para isso tenham que defender o fechamento do STF e do Congresso Nacional.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247