A vida como ela é e o debate da Band

"É preciso reconhecer que a performance de Lula ficou aquém do esperado. Que os ajustes necessários sejam feitos", diz Bepe Damasco

www.brasil247.com - Lula durante debate na TV Band
Lula durante debate na TV Band (Foto: Renato Pizzutto/Band)


Por Bepe Damasco

O formato do debate de domingo à noite na Band, que reuniu líderes nas pesquisas com candidatos que praticamente dão traço nos levantamentos, acaba criando uma situação artificial de disputa acirrada que não existe na vida real. Além disso, torna o confronto enfadonho.

Tanto o monitoramento das redes sociais como  os levantamentos realizados em tempo real mostram que Bolsonaro foi o grande perdedor.

Ele que já tinha uma alta reprovação entre as mulheres saiu carbonizado após as ofensas misóginas e covardes à jornalista Vera Magalhães.

Mas é preciso reconhecer que a performance de Lula no debate ficou aquém do esperado.

Especialmente devido à expectativa criada depois que o ex-presidente brilhou na entrevista ao Jornal na Nacional, na quinta-feira da semana passada.

Adotando uma tática defensiva, parecia aquele time que lidera o campeonato e entra em campo para tocar a bola para o lado e esperar o tempo passar.

O debate não deve produzir alterações relevantes no quadro eleitoral. E Lula e o comando da campanha sabem que é impossível evitar adversidades e turbulências ao longo da disputa. Que os ajustes necessários sejam feitos, até porque outros embates virão.

Uma sugestão para a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, e para os advogados do partido: não é possível assistir passivamente aos adversários acusarem o PT de corrupção e roubo impunemente.

A forma leviana e calhorda como os ataques à instituição são feitos atingem os quase 3 milhões de filiados ao partido.

Caberia perfeitamente a abertura de processos por calúnia, injúria e difamação contra todos os adversários.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Velocidade para dinheiro

Um escândalo a doação de R$ 501 mil do ex-piloto Nelson Piquet para a campanha de Bolsonaro, quando se sabe que sua empresa, a Autotrac Comércio e Comunicações, recebeu do governo federal nada menos que R$ 6.683.791,80 por um contrato sem licitação assinado em 2019. Piloto de algum talento, mas que preferencialmente galgava as primeiras colocações depois que os adversários a sua frente quebravam, Piquet bate recorde de velocidade para faturar dinheiro do erário.

Overdose de pesquisas

Nesta segunda-feira (29), já na parte da manhã, a FSB divulgou sua nova pesquisa, feita por telefone. Mas à noite o Jornal Nacional mostrará os números da corrida presencial apurados pelos Ipec, antigo Ibope, realizado de forma presencial. Por motivos óbvios, as nossas atenções devem se voltar hoje para o Ipec. Depois, ao longo desta semana, os resultados de mais cinco pesquisas virão a público.

Perigo no Rio

Primeiro apoiadores do candidato do PSB ao governo do Rio, Marcelo Freixo, foram ameaçados por jagunços bolsonaristas, no bairro da Tijuca, há algumas semanas. Agora, nos últimos dias, o advogado e candidato a deputado estadual pelo PT, Rodrigo Mondego, foi ameaçado por um sujeito armado de pistola e quatro pessoas que pediam voto para Freixo, em Campos, foram violentamente espancadas. O que as autoridades estão esperando para tomarem sérias providências? Vão reagir só depois que morrer alguém?

Alto preço

Posso estar enganado, mas acho que Bolsonaro pagará um preço eleitoral elevado por ter dito que não se vê ninguém nas padarias pedindo pão e, por isso, não existe fome no Brasil. Até mesmo seus assessores e marqueteiros entenderam rapidamente o tamanho da besteira. Tanto que no outro dia Bolsonaro admitiu, em comício no interior de São Paulo, que “o Brasil passa fome.” Tarde demais., o estrago está feito.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247