Ações que definem eleições e a pesquisa para o Senado

O discurso do bem contra o mal está ultrapassado. Eu sou o bem e ninguém presta, está esvaziado. Apoio dos outros é comprado, pra mim é reconhecimento, já era

O discurso do bem contra o mal está ultrapassado. Eu sou o bem e ninguém presta, está esvaziado. Apoio dos outros é comprado, pra mim é reconhecimento, já era
O discurso do bem contra o mal está ultrapassado. Eu sou o bem e ninguém presta, está esvaziado. Apoio dos outros é comprado, pra mim é reconhecimento, já era (Foto: Voney Malta)

As mãos entrelaçadas com os braços levantados para o alto. Heloísa Helena (PSOL) e o candidato ao governo pelo PSDB, Júlio Cezar, indicado pelo governador Vilela.

A segunda, também publicada no Facebook do professor Alexandre Fleming, mostra a candidata acompanhada do tucano usineiro Fernando Toledo (PSDB), presidente da Assembleia, Lucila Toledo, ex- deputada e ex-secretária do Governo Geraldo Bulhões. Ambos declararam que a apóiam, assim como Júlio Cézar.

Essas duas fotos percorreram distâncias e provocaram reações. Claro, todo apoio é bem-vindo, certo? Depende. Depende da ação e do significado do discurso. HH é durona, agressiva, dedo em riste, sempre certa e acima dos partidos por onde transitou.

Por isso ações definem eleições. O estrago está sendo grande em sua campanha. Nos comentários no Facebook do Fleming alguns são duros:

Luciano Amorim "HH afunda a cada dia em suas próprias contradições. Ninguém está inventando nada nem a vitimando, como ela está acostumada a dizer, mas ela própria se diz na senzala política, mas faz acerto diuturnamente com a casa Grande. Pra mim, perdeu o encanto há tempos. Não passa de uma figura política comum, tão pragmática e oportunista quanto os famosos políticos alagoanos".

Bom, em 2010, na disputa para o Senado, duas vagas em disputa. HH liderava as pesquisas. Mas, num debate na UFAL entre os candidatos ela se negou a apertar a mão estendida de um dos seus adversários. O gesto causou estrago na campanha e no guia.

Sãos dois apertos de mãos. Um negado em 2010 a Afonso Lacerda. O outro dado ao candidato do PSDB. No próprio Face do Fleming há uma postagem supostamente da candidata afirmando que não é aliança com os Toledo, com Lucila, mas sim reconhecimento pelo trabalho feito pelo município.

A pesquisa eleitoral pode estar refletindo essas contradições e o fato de o discurso de Heloísa ser repetitivo, assim como suas ações em todas as eleições, além do fato de estar exercendo um mandato sem destaque na Câmara de Vereadores.

Na pesquisa realizada pelo Exatta, divulgada ontem (4), registrada no TRE com o número 00009/2014, Collor cresceu, ela diminuiu. Mais importante do que o número geral é o específico. Ele lidera em todas as faixas etárias, especialmente entre os mais jovens.

16 a 24 anos – 44% a 29%.

25 a 34 anos – 38 a 32%.

35 a 44 anos – 42% a 30%

45 a 59 anos – 40% a 30%

Mais de 60 anos – 39% a 26%

Os números são frios, mas reflexivos. O discurso do bem contra o mal está ultrapassado. Eu sou o bem e ninguém presta, está esvaziado. Apoio dos outros é comprado, pra mim é reconhecimento, já era. Reciclar é preciso, sempre.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247