Ajuste fiscal à la Lula na Argentina com pé do povo no orçamento e salário básico universal

César Fonseca diz que nova ministra da Fazenda argentina, Silvina Batakis, tem discurso semelhante ao de Lula

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


Por César Fonseca 

O recado, essencialmente, político  da nova ministra da Economia argentina, Silvina Batakis, peronista-kirchnerista, é semelhante ao de Lula, em campanha eleitoral, embalado por pesquisas de opinião que lhe dão vantagem em relação ao neoliberal Bolsonaro.

Para ela, fundamental é a população mais pobre ter o pé no orçamento fiscal, para que seja atendido em suas reivindicações básicas de saúde, educação e infraestrutura produtiva; para os empresários e trabalhadores  - e FMI - destaca três pontos: 1 - manejo fiscal nas contas públicas, 2 - mais exportações e 3 - mais estabilidade do peso; com mais ingressos fiscais, ressalta, haverá recursos para o social; abastecido o social, será possível estabilidade dos salários que fortalece, consequentemente, mercado interno; ela adiantou ainda que está no seu cronograma iniciar debate sobre renda básica universal, igualmente, constante no programa eleitoral de Lula.

FREIO AO FMI

A subida de Batakis, aliada da vice-presidente, senadora Cristina Kirchner, decorreu de pressões da base política do governo FRENTE DE TODOS, insatisfeita com acerto do ex-ministro Martin Guzmán com o FMI por não refletir seus pontos de vistas favoráveis às prioridades sociais; Cristina, que se considera porta-voz dessa base, pressionou, por sua vez, o presidente Alberto Fernandez, forçando mudança no ministério; a ascensão de Batakis, sintonizada com  Kirchner, ocorre uma semana depois de o governo Fernandez anunciar sua entrada nos BRICS, cujas orientações estratégicas são contrárias às do FMI, intransigente na exigência de condicionalidades fiscais incompatíveis com o interesse dos trabalhadores.

GUERRA CONTRA INFLAÇÃO E RAZÕES GEOPOLÍTICAS

O arrocho fiscal imposto pelo FMI, na negociação com ex-ministro Guzmam, não atendeu a demanda essencial do próprio FMI, de reduzir a inflação, no momento, na casa dos 60% nos ultimos 12 meses, com reflexos destrutivos nos salários; razões de ordem geopolíticas, portanto, estão por trás da mudança de orientação econômica, que levaram a ascensão de Batakis, com prioridade para a economia política e não apenas para a política econômica de viés neoliberal conforme orientação de Washington; além da definição estratégica economica voltada à democratização da condução do orçamento fiscal, reservando recursos mais substanciais para o setor social, Batakis anunciou que o governo centrará não apenas na valorização da moeda, via exportações, mas, também, do poder de compra dos mais pobres, com debate sobre salário básico universal; ou seja, ela seguirá na linha lulista de democratização da condução orçamentária e do fortalecimento do poder de compra salarial para fortalecer mercado interno.

CAPITALISTAS DESCONFIADOS

Aos olhos e ouvidos dos capitalistas argentinos agradam as linhas fundamentais do ajuste fiscal, constante do programa acertado com o FMI, do aumento das exportações, da valorização da moeda e do planejamento, visando diminuir a inflação, mas permanecem e até ampliam desconfianças em relação à base política peronista FRENTE DE TODOS; nessa nova conjuntura de mudança na condução da economia argentina, o fundamental será a correlação de forças; quem vencerá: governo ou oposição; os empresários defendem o de sempre, favoráveis ao combate à inflação à moda neoliberal, ou seja, cortes de gastos públicos, contra os quais o peronismo antineoliberal reagiu derrubando o ministro sintonizado com FMI.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247