Apagão e outro fato

Poema de Cristine Nobre Leite

www.brasil247.com -
(Foto: Herivelto Batista/ASCOM-MCTIC)


Todo dia é coisa nova
Nesse Brasil de meu Deus
Para os desenganos meus
Está tudo posto em prova
Só o gadinho o aprova
Aplaude para o seu mito
Na poesia eu permito
Falar, soltar meu cipó
Tirar da garganta o nó
Deixar tudo muito dito

Houve apagão pra ciência
Lattes desapareceu
Muito dado se perdeu
Vai faltando paciência
Backup sem evidência
Danos para os cientistas
Prejuízo pra bolsistas
Trabalho comprometido
Por um governo perdido
De loucos tão direitistas

E o tal que é ministro
E um dia foi pro espaço
Cai sempre num embaraço
É tudo muito sinistro
Esteve bem em registro
Com parlamentar estranha
Chegada da Alemanha
Figura neonazista
É perigo vindo à vista
Uma loucura tamanha

Povo assim destemperado
Devia tomar um rumo
Deixe que aqui eu arrumo
Um lugar mais animado
De um sol que nasce quadrado
Pra homem ser mais viril
Eu quero ver meu Brasil
Muito longe dessa gente
Quero um Brasil sorridente
Com gente bem mais gentil 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email