Aras coloca generais Braga Netto, Heleno e Ramos em saia justa

"Se confirmarem que Bolsonaro pressionou Moro, vão trair o 'chefe supremo' e irão para o olho da rua; se não confirmarem, poderão sofrer as consequências de faltar com a verdade", escreve o jornalista Alex Solnik

Luiz Eduardo Ramos, General Heleno, General Braga Netto e Jair Bolsonaro
Luiz Eduardo Ramos, General Heleno, General Braga Netto e Jair Bolsonaro (Foto: Presidência)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, para o Jornalistas pela Democracia 

Mal esquentou a cadeira de diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza exonerou o diretor da PF no Rio, cuja cabeça Bolsonaro vinha pedindo a Moro desde o ano passado, fato muito estranho, pois para exonerar alguém tem de haver motivo e, no caso, não deu tempo nem de o novo diretor-geral, ou melhor, interventor, conhecer o sr. Carlos Henrique de Oliveira para avaliar o seu desempenho e assim haver um motivo para a exoneração.

O motivo era tão somente satisfazer o desejo do ainda presidente, preocupado com o rumo das investigações acerca da rachadinha de seu filho 01 na Assembleia do Rio e empenhado em mantê-las sob seu controle, para escândalo da sociedade brasileira.

Um interventor nomeou outro interventor.  

Ao mesmo tempo em que Rolando Alexandre fazia sua primeira lição de casa, o chefe da PGR, Augusto Aras deu sequência ao inquérito Moro vs. Bolsonaro, iniciado sábado: pediu ao STF oitiva de ministros citados por Moro - os generais Braga Netto, Augusto Heleno e Luiz Eduardo Ramos, provavelmente por terem testemunhado conversas entre ele e Bolsonaro a respeito de pressões para trocas na PF -, de seis delegados da PF, inclusive o ex-diretor geral Mauricio Valeixo, e da deputada Carla Zambelli, também citados por Moro.

Será uma saia justíssima para os generais.

Se confirmarem que Bolsonaro pressionou Moro, vão trair o “chefe supremo” e irão para o olho da rua; se não confirmarem, poderão sofrer as consequências de faltar com a verdade.    

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247