Articulações preliminares e a inexistente terceira via

Quanto à fraude Moro, procura-se elaborar contrapontos aos cegos aplausos que a extrema direita tem feito ao ex-juiz pré-candidato

www.brasil247.com - Lula, Bolsonaro, Moro e Ciro
Lula, Bolsonaro, Moro e Ciro (Foto: Stuckert | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

Vivemos ainda o início das articulações e composições político-partidárias para definir os candidatos de 2022. Em meio à dúvida e espanto das conversas entre Lula e Alckmin, há os que vão além e defendem uma coligação “trans esferas” Lula e Boulos, um para presidente, o outro para governador de São Paulo. A tese de candidaturas próprias no PT e no PSOL em todos os níveis ainda não foi abandonada e ela não seguirá necessariamente as intenções de votos, por mais lógica que seja. O tabuleiro político tem regras próprias e o jogo é nebuloso.

Nessa toada, com a vitória nas prévias do PSDB, João Dória terá a oportunidade de, mais uma vez, não completar um mandato. Parece sina de político que vê sua carreira pessoal acima do interesse republicano de construir uma sociedade melhor. No mais, é saber se conseguirá unir esforços na centro-direita, espaço congestionado com duas ou três candidaturas, ou repetir José Serra aliando-se ao MDB de Simone Tebet.

Quanto à fraude Moro, procura-se elaborar contrapontos aos cegos aplausos que a extrema direita tem feito ao ex-juiz pré-candidato. Contrasta com a desavergonhada exposição da auto-ignorância dos que viram outra entrevista para achar que o marreco de Curitiba disse algo a mais do que jargões batidos e surrados na filiação partidária e lançamento de sua candidatura. Fala sério! Política ele sempre fez, tirando o líder das pesquisas do pleito de 2018. Ao se despojar do bolsonarismo que tanto defenderam, os auto-enganados descobrem o verdadeiro Frankenstein que criou o monstro que nos governa.

PUBLICIDADE

O articulista da Folha de S. Paulo Ruy Castro, assim, acertou em cheio na sua conclusão quando afirmou que “ele sabe quando e para quem mentir”. A mentira deslavada possui clara finalidade. O despresidente – o sujeito nada oculta da frase entre aspas – age em nome de um grupo de extrema direita que não largará o poder tão facilmente e a busca por uma terceira via nada mais é que perpetuar o bolsonarismo sem Bolsonaro, condição já lançada a todos os ventos e lamentos.

PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email