Bolsonaro tem medo de Marina

"Bolsonaro não vai mais a debates. Foi provavelmente Marina quem o tirou. Aquele confronto com ela no meio do ring no último confronto fez um estrago considerável nas suas intenções de voto. Mais da metade do eleitorado é feminino. Ele tem caído desde que os debates começaram", diz o colunista Alex Solnik; "Bolsonaro vai fugir dos debates porque não tem o que dizer além de frases decoradas. Seu discurso é tosco e limitado", afirma; "O medo de Bolsonaro não é só de Marina. É de todas as mulheres. Elas podem derrotá-lo no primeiro turno"

Bolsonaro tem medo de Marina
Bolsonaro tem medo de Marina (Foto: Esq.: Marcelo Camargo - ABR / Dir.: Adriano Machado - Reuters)

Bolsonaro não vai mais a debates. Foi provavelmente Marina quem o tirou. Aquele confronto com ela no meio do ringue no último confronto fez um estrago considerável nas suas intenções de voto. Mais da metade do eleitorado é feminino. Ele tem caído desde que os debates começaram.

Bolsonaro vai fugir dos debates porque não tem o que dizer além de frases decoradas. Seu discurso é tosco e limitado. Ele também não pode ser tão explosivo na TV como na Câmara e nas ruas e ao se conter perde seu eleitorado que não o identifica mais como aquele Bolsonaro alfa de sempre.

Ele não encontrou o tom certo para dialogar com Marina. Não podia ser grosseiro como foi com a deputada Maria do Rosário para não perder ainda mais votos femininos, seu calcanhar de Aquiles. Na dúvida, ficou catatônico, mais ouviu do que falou e ela ganhou a parada. Depois ele se queixou da agressividade dela.

Bolsonaro fugiu dos debates para não ter que encarar Marina de novo. Para não ter que ouvir de Boulos a respeito da Val. Para fugir dos ataques de Alckmin que só pode crescer tirando voto dele.

Bolsonaro desistiu dos debates porque eles são a essência da democracia. E ele não sabe conviver em regime democrático. E é um sinal perigoso de como ele planeja o seu suposto futuro governo: sem dar satisfações a ninguém. Sem ouvir o contraditório. Pessoas de perfil autoritário preferem o monólogo ao diálogo.

Fugir dos debates também significa que ele decidiu esconder o que pretende fazer. Gerando mais incerteza e insegurança acerca de um cenário em que participe do segundo turno.

Bolsonaro também percebeu que, sem Lula nos debates ele se torna o alvo preferencial de todos, menos do Cabo Daciolo, porque se torna o líder. E não tem estrutura para encarar a situação. Ou seja, não tem estrutura para ser líder de coisa alguma.

O medo de Bolsonaro não é só de Marina. É de todas as mulheres. Elas podem derrotá-lo no primeiro turno.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247