Brasil ajoelhado aos pés dos EUA

"A presença do Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo [equivale ao cargo de chanceler] em território brasileiro usado como base para agredir a vizinha Venezuela comprova que, para um governo servil e subjugado, a subserviência e o capachismo não têm limites", diz o colunista Jeferson Miola sobre os interesses envolvidos na visita do secretário americano no Brasil

www.brasil247.com - Mike Pompeo e Ernesto Araújo
Mike Pompeo e Ernesto Araújo (Foto: Reprodução/Youtube)


A subserviência e o capachismo do governo Bolsonaro e do comando das Forças Armadas do Brasil aos EUA não têm limites.

Engana-se quem imagina que gestos vergonhosos, como a reverência do Bolsonaro à bandeira estadunidense e a celebração do 4 de julho na Embaixada dos EUA; a isenção de tarifa de etanol dos EUA; a entrega da base de Alcântara, e o financiamento, com orçamento nacional, de oficiais das Forças Armadas para servirem ao Comando Sul dos EUA, poderiam significar o fundo do poço que o Brasil seria capaz de alcançar em termos de ultraje e humilhação.

A presença do Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo [equivale ao cargo de chanceler] em território brasileiro usado como base para agredir a vizinha Venezuela comprova que, para um governo servil e subjugado, a subserviência e o capachismo não têm limites.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro se assume o tempo inteiro como um obediente vassalo do Trump.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas é ainda pior; porque, além disso, Bolsonaro ainda se vangloria de ser o verme rastejante que faz do Brasil um pária no sistema de nações.

Bolsonaro é um servo dos EUA a serviço da desestabilização, do caos e da promoção do conflito entre países-irmãos da América do Sul.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A escolha de fornecer infra-estrutura logística e territorial para as políticas intervencionistas e agressivas de Trump na região, que é crime de responsabilidade, pois fere o artigo 4º da CF, contribui para converter o continente sul-americano numa enorme e incontrolável Síria.

Hoje, conhecendo-se a relevância econômica, política e militar da China e da Rússia na Venezuela, está fora de dúvida que, em caso de agressão estadunidense, a região passaria a ser um foco mundial de conflitos e disputas geopolíticas, geoestratégicas, geoeconômicas e militares entre potências extrarregionais.

O governo Bolsonaro e seus militares deram mais um passo na conversão do Brasil ao posto ultrajante e humilhante de mero protetorado dos EUA; puseram o Brasil de joelhos perante seu “rei imperial”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com esta escolha ultrajante e que, além de inconstitucional, é criminosa, eles também estarão mergulhando o Brasil e o povo brasileiro em conflitos infames e insanos.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email