Celebrar golpe de 1964 é ato de desespero de Bolsonaro

Jornalista Leandro Fortes define como "um ato de desespero" o gesto de Jair Bolsonaro de incentivar quartéis a celebrarem o golpe militar de 1964. "Protagonista de um desastre político-administrativo, tratado (e reconhecido) como um imbecil, em todo o planeta, ele precisa urgentemente de um front para acolher os herdeiros da linha dura militar", diz Fortes, lembrando que o chamado contou "com poucos e tímidos apoios, mesmo na caserna"

Celebrar golpe de 1964 é ato de desespero de Bolsonaro
Celebrar golpe de 1964 é ato de desespero de Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Por Leandro Fortes, para o Jornalistas pela Democracia - Ao incentivar os quartéis a celebrarem o golpe militar de 1964, Bozo não está apenas dando vazão à sua patologia mais conhecida. Protagonista de um desastre político-administrativo, tratado (e reconhecido) como um imbecil, em todo o planeta, ele precisa urgentemente de um front para acolher os herdeiros da linha dura militar.

A convocação é, em si, um ato de desespero e conta, no nascedouro, com poucos e tímidos apoios, mesmo na caserna - noves fora os dementes bolsonaristas das redes sociais.

É o tipo de coisa que só interessa a fanáticos e idiotas de plantão. Só irá servir para recrudescer o repúdio do mundo a um passado de nossa história repleto de sangue, arbítrio, torturas e assassinados.

Com mais esse ato irresponsável, Bozo busca compensar sua completa inaptidão para governar açulando a malta de fascistas que ele e os filhos alimentam, diuturnamente, com rações de ódio, mentira e insensatez, nas redes sociais.

Seria uma bora hora de as Forças Armadas dizerem não a esse lunático.

(Conheça e poie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Ao vivo na TV 247 Youtube 247