Com eleição de Ortega, Nicarágua retorna às Novas Rotas da Seda (Belt and Road Initiative)

Os governos de esquerda recém-eleitos voltam a se aproximar da China

www.brasil247.com - Xi Jinping e Daniel Ortega
Xi Jinping e Daniel Ortega (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

Nessa segunda-feira em Manágua, ocorreu a cerimônia de posse do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega. Na presença de convidados da Rússia e China, Ortega reafirmou seu compromisso no aprofundamento da cooperação entre os países.

Na reunião ocorrida antes da cerimônia, o enviado especial chinês, Cao Jianming e Ortega assinaram acordos de cooperação no âmbito das Novas Rotas da Seda (BRI), a Cooperação Marítima do Séc. XXI, a isenção de vistos para portadores de passaportes diplomáticos, assuntos públicos e oficiais mútuos.

Ainda na segunda, antes da posse, os EUA impuseram sanções a autoridades da Nicarágua sob pretexto de “atos violentos do Estado”.  Aderindo aos EUA, a União Europeia anunciou novas sanções a indivíduos nicaraguenses por “minar a democracia e abusos dos direitos humanos”.

PUBLICIDADE

Em 2017, a China estava financiando a construção do Canal da Nicarágua, que ligará o Atlântico ao Pacífico, similar ao Canal do Panamá, permitindo uma rota comercial entre os países asiáticos e o ocidente, livre do controle estadunidense. (o que beneficiará em muito as exportações brasileiras).

Em abril de 2018, durante a gestão de Ortega, começaram protestos contra reformas previdenciárias propostas pelo governo. Mesmo o governo suspendendo as reformas e abrindo diálogo com a população, os protestos se intensificaram. Os protestos se tornaram mais violentos, e as reivindicações mudaram, exigindo a renúncia de Ortega.

Mais tarde se soube haver jovens infiltrados, os quais foram capacitados pelo IEEPP (Instituto de Estudos Estratégicos e Políticas Públicas), financiado pelo NED (Fundo Nacional para a Democracia) e pela USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional). Think tanks sabidamente usadas pelos EUA para dar golpes em toda a América Latina.

PUBLICIDADE

A NED é uma das financiadoras da Global Americans, que recentemente apareceu nas investigações realizadas pela imprensa do PCO, como apoiadora de um instituto brasileiro, IREE (Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresas).

No ano passado, os EUA acusaram fraude nas eleições da Nicarágua, na tentativa de impedir que Daniel Ortega retornasse à presidência. Vários dos partidos da esquerda brasileira somaram-se ao coro estadunidense contra Ortega.

Lula, perguntado sobre a reeleição de Ortega, em entrevista ao El País, disse que a soberania da Nicarágua deveria ser respeitada. E foi prontamente atacado por toda a imprensa brasileira, imputando-o estar minimizando a ditadura de Ortega.

PUBLICIDADE

Sobre o retorno da Nicarágua às Novas Rotas da Seda (BRI), os analistas chineses acreditam que os EUA estão determinados a garantir sua influência absoluta na região e dispostos a recorrer a sanções, ameaças e até invasões militares para isso. Porém, pelas necessidades da região e as vantagens oferecidas pela China; construção de infraestrutura, parcerias comerciais, transferência de tecnologia e desenvolvimento econômico; os governos de esquerda recém-eleitos voltam a se aproximar da China.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email