Crivella debocha mais uma vez da Cidade

Mais uma vez o descaso e deboche fazem parte do cenário  da Cidade do Rio de Janeiro. Já não bastasse o caos que a cidade vive devido a falta de obras de manutenção, conservação e todo o descaso com a saúde e educação que provocam tragédias de cunho social, humano, cultural e econômico as quais não  podemos classificar como inesperadas

Crivella debocha mais uma vez da Cidade
Crivella debocha mais uma vez da Cidade (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Mais uma vez o descaso e deboche fazem parte do cenário  da Cidade do Rio de Janeiro. Já não  bastasse o caos que a cidade vive devido a falta de obras de manutenção, conservação e todo o descaso com a saúde  e educação que provocam tragédias de cunho social, humano, cultural e econômico as quais não  podemos classificar como inesperadas.

O abandono que a Cidade do Rio é  vitima tem nome e um slogan de campanha que hoje podemos entender e interpretar como um verdadeiro escárnio.

O Prefeito que se elegeu afirmando “cuidar  das pessoas” passou mais da metade do mandato se ocupando em culpar a gestão anterior, se omitindo das responsabilidades, perseguindo e criminalizando a cultura e sufocando servidores municipais.

Muito eficiente em vetar ou propostas ou desobedecer leis que não venham de sua base aliada, mesmo que sejam de clamor popular e de extrema necessidade para segurança e uma ajuda na economia como a lei de autoria do vereador Reimont (PT) que resolve o retorno dos cobradores de ônibus, pondo fim a dupla função do motorista e gerando novos empregos o Prefeito assume sua morosidade para não dizer má  vontade.

O fato é  que a Cidade vem se deteriorando, túneis, passarelas, viadultos tão  importantes para mobilidade  urbana e fluidez  no deslocamento de pessoas, hoje se tornam pontos centrais de um assustador dilema:

“Confiar ou não na travessia ou para onde será a travessia?”

A mais nova, infeliz declaração do Prefeito faz referência a ciclovia Tim Maia que tem sido vitima de constantes desabamentos, o que tem levado pânico e insegurança a pedestres e cliclistas que tentam utilizar  a ciclovia.

Despido de sensibilidade e responsabilidade o Prefeito compara a ciclovia à um time de futebol  do Rio que  teve alguns casos de rebaixamento.

O Prefeito disse que a ciclovia deveria se chamar pelo nome do time porque “caia muito.”

Não colocarei o nome do clube aqui pois  me recuso a compartilhar tamanho absurdo e desrespeito com as vidas ceifadas na tragédia e todos os outros desabamentos que nada têm  a ver com o clube.

Cenario de beleza já foi palco de tragédia:

No dia 21 de abril de 2016, uma onda derrubou um trecho de 20 metros da ciclovia. Eduardo Marinho, de 54 anos, e o gari comunitário da Rocinha Ronaldo Severino da Silva, de 61 anos, que passavam pelo o local, morreram no acidente.

Desde então a  ciclovia vem sofrendo com desabamentos e omissões do poder público municipal que atende pelo nome de Crivella que chegou a sugerir um plebiscito para a população decidir o destino da ciclovia. Pasmem!

Vale destacar que Crivella vem passando por um processo de investigação na Câmara Municipal do Rio que pode degerminar a abertura do processo de impeachment.

 

 

 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247