Datafolha diz que golpistas foram vítimas do próprio veneno

Os golpistas foram vítimas do próprio veneno, do próprio exagero, da própria truculência, da própria arrogância. Se a esquerda continuar unida em defesa da democracia, o golpe será enterrado e eles ainda vão ter que responder por todas as violações das leis que cometeram ao usarem órgãos de Estado com finalidade política

Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Eduardo Guimarães)

Até há poucas semanas, analistas políticos de todos os matizes falavam, de forma pavloviana, sobre “morte política” de Lula e do PT e sobre “queda irreversível” do governo Dilma Rousseff. Na semana que finda, tudo mudou. E como mudou.

O que mais espanta no fenômeno que analisaremos aqui é a fragilidade de um aparato golpista que tenta devolver o Poder à direita após 13 anos de governos trabalhistas. Contando com órgãos de Estado como Ministério Público, Polícia Federal e setores do Judiciário, com impérios de mídia e com o grande empresariado, bastou uma reação um pouco mais consistente e coordenada da esquerda para a conspiração golpista começar a despencar.

Pesquisa Datafolha divulgada neste fim de semana revela uma situação surpreendente e que nem o petista mais otimista poderia esperar: Lula, alvo da maior e mais cara campanha difamatória de que se tem notícia no século XXI – até então jamais fora dedicado esforço de mídia tão avassalador a fim de desmoralizar alguém -, recuperou popularidade justamente no momento em que os golpistas já comemoravam antecipadamente a volta dos tucanos ao poder e a “destruição para sempre” do PT e do maior líder político da história brasileira.

Apesar de todos já terem conhecimento desse fato, vale a pena rever – quantas vezes for possível – o resultado da pesquisa Datafolha. Até porque, a sondagem de intenções de voto para 2018 pelo Datafolha como se estivéssemos em plena campanha eleitoral, apesar de estarmos no meio do mandato de Dilma, diz muito sobre a intenção dos que desejam derrubá-la.

golpistas

Note, leitor, que só Lula, Ciro Gomes e Jair Bolsonaro cresceram em intenções de voto. O PSDB sofreu forte queda. Luciana Genro, uma das raras figuras de esquerda que tem compactuado com os golpistas enquanto dá declarações de que acha que seria beneficiada com a destruição de Lula e do PT, continua sem apoio de praticamente ninguém, como sempre.

Ciro e Bolsonaro são beneficiados pelo clima de “fora todos”, por serem outsiders. Entre os políticos “de ponta”, só Lula cresceu.

Outro dado que mostra a reversão do jogo no exato momento em que os golpistas comemoravam antes da hora é a queda profunda do apoio ao impeachment revelado pelo Datafolha – de 68% em março para 61% em abril.
Claro que o apoio ao impeachment em março foi inflado pela condução coercitiva ILEGAL de Lula e pelo mega protesto fascista em São Paulo, mas não foi só por isso que o golpe perdeu força enquanto Lula e o PT ganharam.

A reação da esquerda foi consistente e bem coordenada. Espalhou-se pelo Brasil e pelos quatro cantos do mundo uma reação legalista ao golpe ao mesmo tempo em que uma infinidade de juristas, intelectuais, artistas, jornalistas, movimentos sociais etc. se rebelaram contra o ataque à democracia que vinha ganhando força.

Mas é na reação de Lula que se encontra o busilis da questão. Os exageros praticados contra ele estarreceram a sociedade. A divulgação do grampo de uma conversa entre ele e Dilma revelaram que nada demais foi falado. A tese de que Lula pretendia fugir da lei ao aceitar ser ministro de Dilma não colou porque todos foram informados de que o processo contra ele continuaria, só que não mais pelas mãos de um juiz que grampeia pessoas ilegalmente e manda sequestrá-las para depor quando bastaria uma intimação.

A esquerda finalmente enxergou o que nesta página vinha sendo dito havia anos, organizou-se, reagiu e, com um mínimo de reação, começa a anular todo esse aparato colossal erigido para pôr fim à democracia brasileira e instalar uma nova ditadura de extrema direita cujo fim todos já começam a perceber que é retirar as conquistas da maioria dos brasileiros ao longo da era Lula a fim de privilegiar a elite microscópica que concentra renda neste país.

Os golpistas foram vítimas do próprio veneno, do próprio exagero, da própria truculência, da própria arrogância. Se a esquerda continuar unida em defesa da democracia, o golpe será enterrado e eles ainda vão ter que responder por todas as violações das leis que cometeram ao usarem órgãos de Estado com finalidade política. Esperem só para ver.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247