Diretas Já e uma Constituinte soberana

O momento, portanto, é de resistência. A saída é de ruptura institucional e quebra de paradigmas. Em todos os níveis

Fora, Temer. Diretas Já 
Fora, Temer. Diretas Já  (Foto: Chico Vigilante)

O Brasil está estarrecido em busca de uma luz no fim do túnel, mas a solução para a nação não deve ser a das elites - trocar os gatunos no poder e continuar a produção de gatos, corrupção e a entrega do país.

Neste momento a única saída para o Brasil é a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte Soberana, sem passar pelo atual Congresso Nacional, envolvido até a âmago na bandalheira.

Os brasileiros devem se unir num norte: convocar e eleger os constituintes que farão uma nova Constituição. Ao final voltam para casa e se elege um novo Congresso Nacional com base na nova Constituição.

A luz no fim do túnel se traduz num acordo, forjado com povo nas ruas, que incluia paralelamente à Constituinte a realização de eleições diretas já para a Presidência da República.

A direita vai alegar que não pode porque não está previsto na Constituição, mas o momento é grave e a hora é de desobediência civil.

Para fazer coisa errada ninguém respeita a Constituição. Para dar um novo passo necessário ao futuro do Brasil tem que poder.

O momento, portanto, é de resistência. A saída é de ruptura institucional e quebra de paradigmas. Em todos os níveis.

Como podemos aceitar, por exemplo, que o ministro da Defesa, Raul Jungman, venha dizer que o Exército poderá intervir se for necessário. Necessário pra que? E pra quem ? para defender os gatunos no poder ?

A sociedade brasileira tem que sair as ruas e exigir investigações completas para saber também até onde o Judiciário e mídia estão envolvidos.

Quando o executivo da JBS em gravação diz que comprou juízes, quando Aécio afirma que procurava alguém para transportar a propina que pudesse ser morto antes de delatar, eles igualam o Brasil a território de foras da lei, que dão as cartas, matam e mandam matar.

E ai eu pergunto: Quantos mais a quadrilha terá comprado? Quantos estarão na folha de pagamento dos grandes grupos econômicos e financeiros? por que as investigações sobre a morte do ministro Teori Zavaski caíram no ostracismo midiático?

Algo parece se encaixar com a declaração dos executivos da JBS que viajaram para os EUA com permissão da PF sob a alegação de que recebiam ameaças de morte no Brasil.

O Brasil está estarrecido com as entranhas abertas da corrupção no governo Temer, elucidada com o mapa das propinas traçado pela PF via delação do grupo JBS.

Do cala boca a Eduardo Cunha pago na cadeia, à tentativa de renegociação por Temer da compra de gás da Bolívia pela Petrobras para beneficiar o grupo JBS, envolvendo milhões de dólares, os áudios liberados pelo Supremo envergonham até mesmo bandidos.

Se estão entregando acordos de corrupção que começaram a vigorar depois do início da Lava Jato, imagine quantos antigos e polpudos estão sendo escondidos para que não sejam obrigados a devolver o fruto do roubo?

Não se discute mais se Temer fica ou sai. Mesmo tendo negado a renúncia ele não se mantém por muito tempo. Só não caiu ainda porque os representantes das elites na mídia, Justiça, Legislativo não fecharam um acordo que troque o ator principal mas preserve a camarilha e seu projeto.

Vivemos um filme de horror, mas esse é o país que as elites e seus representantes construíram, não a Nação que sonhamos para nós. O Brasil pede passagem!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247