Entra água na 'caixa preta' do governo

www.brasil247.com - Vista do Palácio do Planalto
Vista do Palácio do Planalto (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)


É costume reconhecer que, no Brasil, o mês difícil para a política, o das bruxas soltas, é agosto. Foi assim com a queda de Vargas e, depois, com várias turbulências que, se não vitimaram, desequilibraram os jogos de poder. Pois estamos em julho e a sucessão de dissabores desaba sobre o cenário no Planalto Central, deixando os olhos marejados e a mente inquieta, sem saber para onde se voltar. O céu não está para brigadeiro, apesar da quantidade de militares envolvidos na administração pública. No avião que ainda não caiu, procura-se o mais difícil: uma ‘caixa preta’ onde ainda não tenha entrado água. Foi-se o Presidente da Caixa Econômica, o Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual por várias mulheres. Uma sucessão lamentável de eventos e má condução da coisa pública. O ex-Ministro Mílton Ribeiro obteve um refresco com um habeas corpus, mas continua como alvo das atenções e, pelo que se imagina, pelo que sabe e guarda, pode comprometer o Presidente Bolsonaro. Finalmente, no Senado, prepara-se uma CPI para investigá-lo e desvendar o caminho das verbas do FNDE, sumindo entre os dedos de pastores. Como autoproteção já se mobiliza o “eterno” 01, o Flávio Bolsonaro, armando-se até os dentes para impedir, dissolver ou neutralizar as acusações de corrupção. E ainda não chegamos a agosto. 

Para uma administração que se dizia limpa, virgem de sujeiras, não ficamos com a impressão de que o avião voa e a ‘caixa preta’ permanece intacta. Enquanto isso, as eleições se aproximam, o mapa das disputas se inclina para a esquerda de Norte a Sul do Continente e os esquemas de defesa apresentados a Biden ou na cena interna não dão a impressão de funcionar. Limitam-se a irritar e criar problemas, como aconteceu com a Bolívia, na qual a ex-golpista Janine Añez, condenada a dez anos de prisão pela Suprema Corte, a quem Bolsonaro oferece asilo não se sensibiliza com o aceno e ainda cria embaraços com um país amigo, com o qual temos excelentes relações comerciais. 

É um céu de brigadeiro? Não parece. Rapidamente mobilizam-se quadros experientes para localizar e, se possível, esconder a ‘caixa preta’ de olhos indiscretos. O problema é que, quando as bruxas se soltam, ninguém dá a impressão de se mostrar suficientemente bom para segurá-las. Elas riem, escondem a cara, mas continuam de prontidão, prontas para intervir. A sondagem nas pesquisas, com vistas ao pleito que se aproxima, não mentem. Se entra água em toda parte, não entrará também na ‘caixa preta’? Examinar o céu e rezar para que as tempestades de afastem não garante fórmulas mágicas capazes de fazer cessar o salve-se quem puder de um governo onde o precioso líquido invade os andares, subindo porão acima. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não há como não reconhecer as qualidades de Jair Bolsonaro para aparecer cotidianamente nas manchetes e assim continuar vivo. Que fique vivo, então, não obstante tristemente famoso. É certo que a nação se volta para outro lado, atenta e pronta para despertar da longa letargia. Somente assim, tornaremos a entrar no concerto entre as nações, de cabeça erguida, com os pés plantados no chão e com a espinha ereta para nos aprumar e escolher um destino melhor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email