Filhos, pandemia e gafanhotos

É bem possível que o presidente possa ser levado a ter de escolher entre preservar-se ou salvar os filhos. Enquanto isso, mais de 50 mil brasileiros e brasileiras já morreram, vítimas da pandemia. E os gafanhotos, que estão atravessando a Argentina, rumam em direção ao Brasil!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Rei Davi perdeu o trono porque não soube cuidar dos filhos, até que um de seus filhos, Absalão, aproveitando-se do fato de seu pai ter traído e assassinado um  homem de confiança, o derrubou do trono e assumiu o governo.

O Rei Lear, personagem de Shakespeare, perdeu o trono porque não soube administrar o relacionamento com as filhas,  e vai à loucura “após ser traído por duas de suas três filhas, às quais havia legado o seu reino de maneira insensata.”

O presidente sem partido, parece, vai no mesmo caminho pelo mesmo motivo.

Ela já mexeu na Polícia Federal; já gravou vídeo, liberando verbas, com o parlamentar relator do processo contra o deputado Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética, onde o deputado agradecia ao presidente pela liberação de tais verbas; já defendeu arquivamento de inquéritos de fake news no STF; e sabe se lá o que fará depois da prisão do Queiróz.

É bem possível que o presidente possa ser levado a ter de escolher entre preservar-se ou salvar os filhos.

Enquanto isso, mais de 50 mil brasileiros e brasileiras já morreram, vítimas da pandemia.

E os gafanhotos, que estão atravessando a Argentina, rumam em direção ao Brasil!

Estou começando a pensar num Apocalipse localizado… se isso fosse possível!

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247