Fome de justiça!

Devemos com “golpes de verdade” desmontar a farsa e a hipocrisia para acabar com a secular fome de justiça dos brasileiros

www.brasil247.com - Invadida por garimpeiros e abandonada pelo governo Bolsonaro, Terra Indígena Yanomami sofre com malária, contaminação por mercúrio e desnutrição severa
Invadida por garimpeiros e abandonada pelo governo Bolsonaro, Terra Indígena Yanomami sofre com malária, contaminação por mercúrio e desnutrição severa (Foto: Condisi-YY/Divulgação)


Todas as iniciativas de doação para os Yanomami são importantes e não só para eles neste momento, como para que toda a sociedade brasileira mostre seu carinho e solidariedade com seus irmãos indígenas. E sua indignação com o cerco a que foram submetidos nestes tempos escabrosos de corruptos poderosos. 

O Brasil, mas em especial os mais indefesos e vulneráveis, foi subjugado pelo bolsonarismo, braço aparente de uma direita fascista que aqui vingou no seio fétido de 1964. Na redemocratização o tumor não foi lancetado e latente pulsou. Até pelo avesso, criando parcerias destrutivas. Por vezes, como nas falas de ministro do exército, arrotou flatulências.

Na cadeia de causas do massacre Yanomami a mão vil da FUNAI só mostra como as instituições brasileiras são frágeis. Os que se contentam em lavar as mãos, capitalizando o que iniciativas individuais fizeram, se julgam limpos, mas carregam estes micróbios que putrefazem instituições, que vivem das deformações pagas de suas fortalezas midiáticas. Tecno burocratas mascaravam a subserviência ao governo espúrio prejudicando iniciativas de adversários políticos para fornecer vacinas.

Entre as causas, a falta de cadeia para as pessoas certas na hora certa. O dano e a injustiça secular, como o colonialismo escravagista, permeiam nossa história. Se não podemos mudar a história longínqua, que tal, além de cultuarmos nossos verdadeiros valores e heróis, fazer justiça agora?!

Para mim, aos 80 anos, 1964 ainda é ontem e não foi reparada como devia já que purga – ainda há memória viva, documentos, testemunho e tempo. As milícias de hoje, sucedâneos dos esquadrões da morte da ditadura, vicejam e deformam até a democracia eleitoral. O assassinato de Marielle passou pelo condomínio horizontal do presidente ilegítimo coabitado por agentes delas e armas contrabandeadas.

Em 2016, assistimos com a indignação de poucos o apedrejamento de uma presidente. Bolsonaro, agressor público, se torna o beneficiário político do golpe. Quem quis saber que tudo tinha a ver com contratantes de garimpeiros do ouro negro? Mas, se catava vento, o deboche era como nas praças romanas: - Estocar vento! – Há, há, há!

Quanta estupidez de quem se acha inteligente. Como que nosso futuro desenhado com recursos necessários para educação e saúde se dissolvem com um piscar de olhos fazendo um barril de 140 dólares se converter em 35, ou seja, a 1/4? Quem administra isto? Quem nos levou o controle da Petrobras e fez combustíveis aumentarem mais de 4 vezes? 

Como o TCU, o Ministério Público e até a Suprema Corte, atuam maldosamente ou acompanham mais que inertes, solidários, ainda que alguns com um grau de vergonha, a farsa das pedaladas fiscais? E como toleraram a injusta prisão do ex-presidente concertada fora do Brasil?

Não, não precisamos caçar todas as bruxas, mas não é demais fazer com que reflitam. A pedra na mão é fácil no meio da turba para quem consentiu ou colaborou. 

Há que salvar nossas instituições democráticas do efeito corrosivo do passado.  

Acabar com emendas parlamentares que destroem o planejamento governamental e se tornaram inescrupulosamente secretas. 

Apesar da resistência de um punhado de parlamentares decentes e combativos, que Congresso é este, já ridicularizado mundialmente no episódio da cassação do mandato de Dilma, que legisla para si mesmo e para ter a proteção militar, condenando os pobres e os trabalhadores ao desemprego, subemprego e precarizando a previdência social, agora renovado com agentes do descalabro do governo ilegítimo? 

Mas Bolsonaro, produto infame disto tudo, fede mais que todos porque é produto disforme de 1964 e 2016 corrompido pela rapina internacional, que bate continência para a bandeira americana e se aliou a fascistas de todo o mundo.

Nesta quadra do tempo, a dobra do espaço nos aproximou dos novos viajantes. Há que falar para eles de um tempo melhor. De outro olhar; que não estamos sós - o mundo fervilha de incertezas e novas perspectivas. Novos heróis improváveis surgirão!

Lula começou muito bem, a frente ampla foi decisão política correta e é com ela, com todo o arco da sociedade que desbaratou a intentona de 8 de janeiro, que se há de renovar nossas instituições, banir a fome, a fraude e a violência contra os pobres e todas as vítimas de discriminação. Mais ainda ele já abriu à nossa frente espaços mais amplos de soberania com o respeito que está a inspirar mundialmente, que permitirão nos livrar de velhas amarras e defender nosso trabalho e economia.

Nós outros espalhados em todos os cantos e recantos do país devemos com “golpes de verdade” desmontar a farsa e a hipocrisia para acabar com a secular FOME DE JUSTIÇA dos brasileiros

Rio, 25/01/2023

Nota: “Golpes de verdade”, é uma expressão que Leonel Brizola usava para o poder de desarmar os adversários pelo confronto com a verdade.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247