Golpe de Estado na Bolívia

"A Bolívia, país muito pobre, foi vítima de golpes e mais golpes que confirmam um fato simples: países que não completaram sua revolução industrial e capitalista a democracia é sempre instável", avalia o economista e ex-ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser Pereira sobre o golpe que forçou a renúncia do presidente Evo Morales na Bolívia

www.brasil247.com - Protestos na Bolívia
Protestos na Bolívia (Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)


Na Bolívia, mais um golpe de Estado: Evo Morales foi obrigado a renunciar. 

A Bolívia, país muito pobre, foi vítima de golpes e mais golpes que confirmam um fato simples: países que não completaram sua revolução industrial e capitalista a democracia é sempre instável. 

Morales é um político indígena de esquerda que, para surpresa de muitos, governou seu país nos últimos 14 anos com rara competência. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Garantiu a seu país estabilidade e uma excelente taxa de crescimento econômico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entretanto, há cerca de um ano vinha encontrando problemas inclusive com indígenas. E foi nesse quadro difícil que enfrentou recentemente uma quarta eleição na qual ele cometeu um grande erro. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando começou a se tornar claro que ele venceria o pleito, mas teria que enfrentar um segundo turno, as apurações foram suspensas por um dia e, em seguida, os resultados mudaram a favor de Morales.

A direita boliviana, que sempre esteve no poder, e sempre foi liberal e corrupta ou então liberal e incompetente, aproveitou-se desse erro para pressionar pela renúncia de Morales. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sem apoio dos militares e sob pressão da Organização dos Estados Americanos, Morales renunciou. Vemos, assim, mais uma vez, como é difícil a sorte dos países na periferia do capitalismo.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email