Governadores, Boff, Esquivel e a intolerante violência da justiça brasileira

Quem o judiciário pretende novamente enganar? Calaram-se as panelas que rufaram pelo Impeachment ilegítimo da ex-presidenta Dilma. Assim como esconderam-se os manifestoches verde-amarelos da porta da Fiesp, diante da corrupção das velhas raposas do MDB e PSDB

Quem o judiciário pretende novamente enganar? Calaram-se as panelas que rufaram pelo Impeachment ilegítimo da ex-presidenta Dilma. Assim como esconderam-se os manifestoches verde-amarelos da porta da Fiesp, diante da corrupção das velhas raposas do MDB e PSDB
Quem o judiciário pretende novamente enganar? Calaram-se as panelas que rufaram pelo Impeachment ilegítimo da ex-presidenta Dilma. Assim como esconderam-se os manifestoches verde-amarelos da porta da Fiesp, diante da corrupção das velhas raposas do MDB e PSDB (Foto: Ricardo Fonseca)

Não! a prisão de Lula não é uma prisão comum... Não é uma jaula com barras de ferro nas janelas, amparadas pelas paredes frias e sem cor das penitenciárias nacionais. Muitos queriam que a fosse, mas para apresentar um falso ar de justiça e um tratamento com senso "especial", ela não é.

Como uma jovem juíza substituta pode proibir a vista de autoridades, como governadores, de visitar um preso político injustiçado em pleno século XXI, num País cujo o artigo 5° da Constituição Federal, assegura exatamente o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias?

Como uma jovem juíza com letras minúsculas, presa em sua própria convicção e inexplicável prepotência, pode proibir o ícone da Teologia da Libertação no Brasil Leonardo Boff de 79 anos de visitar o "velho amigo", em sua prisão política ilegal em Curitiba?

Como uma jovem e inexperiente juíza pode proibir Adolfo Perez Esquivel de 87 anos, Prêmio Nobel da Paz, que veio de Buenos Aires, especialmente para prestar solidariedade ao amigo Lula, em seu cárcere político, cujo o crime foi só ter lutado em benefício dos pobres e excluídos dessa sociedade econo-midiática-social excludente?

A indignação dos nove governadores, Tião Viana (PT), do Acre; Renan Filho (PMDB), de Alagoas; Rui Costa (PT), da Bahia; Camilo Santana (PT), do Ceará; Flavio Dino (PCdoB), do Maranhão; Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba; Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco; Wellington Dias (PT), do Piauí e Waldez Góes (PDT), do Amapá, refletem a indignação de mais de 100 milhões de brasileiros, que aprovam o ex-Presidente Lula em todas as pesquisas de intenções de votos.

"Arbitrária, equivocada e injusta", falou o ex-Juiz federal e atual governador do Maranhão Flávio Dino, numa referência à Justiça Federal, que descumpriu a Lei de Execução Penal ao impedir a visita das autoridades. Dino, mais do que ninguém, conhece "de cabo à rabo", os meandros da justiça federal; é evidentemente, um velho conhecedor e aplicador das leis.

Constrangidos também ficaram os Senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR), por desacreditarem que seriam barrados nessa comitiva, juntamente com os governadores.

Precisamos pacificar a justiça, precisamos humanizar a justiça, precisamos fazer cumprir a Constituição. Mas como proceder assim se o super juiz Moro tem o apoio irrestrito do STF e STJ, para cometer os seus mais delirantes arbítrios e seguir as suas próprias leis indignas?

Quem está doente e precisa de cura, é somente a política com os seus arroubos e infortúnios de corrupção? Ou também a justiça e seus legados totalitários e punitivistas da santa inquisição do século XVIII na Idade Média?

Na Idade Mídia é inconcebível assistir a cenas como a dos "ilustres barrados judiciais". Inaceitável como ver o Leonardo Boff sentado solitária na "porta da cadeia fria de Lula", olhando para o horizonte, como se buscasse a apenas alguns passos na sua frente, respostas com um pouco de luz e cor... Como se procurasse ao léo, uma gota de Esperança, Justiça de verdade e PAZ.

Leonardo Boff, Adolfo Esquivel, governadores, senadores e todos esses que acreditam na inocência de Lula, espera-se que não desistam. Força, foco, coragem e fé, que a batalha será longa e a guerra bem mais do que fria.

Como este jovem escritor, que nunca pensou em um dia assistir, o poder de quem deveria fazer cumprir a Constituição e promover a Justiça, ser tão injusto, intolerante, implacável e acima de tudo inconstitucional, como essa Justiça paralela de Curitiba.

A pressão é tanta, que Ministros do Supremo Tribunal Federal, última e maior instância do poder Judiciário brasileiro, votam, decidem, impedem e decretam, atos contra muitas das vezes, as suas próprias convicções. A justiça deu marcha ré em sua própria história, andando de costas para a inexistência de provas, presunção de inocência e retirada de direitos individuais.

Porém, de que vale tudo isso, se o Poder Legislativo deu poderes máximos ao Judiciário, ao ponto dele interferir no Executivo e pautar a economia e os destinos do país?

Até quando o bendito triplex que nunca foi de Lula, que nunca teve elevador privativo ou obra especial em seus cômodos para atender a exigências e gostos da saudosa D. Marisa Letícia, será validado como motivo da prisão política de Lula?

Quem o judiciário pretende novamente enganar?

Calaram-se as panelas que rufaram pelo Impeachment ilegítimo da ex-presidenta Dilma. Assim como esconderam-se os manifestoches verde-amarelos da porta da Fiesp, diante da corrupção das velhas raposas do MDB e PSDB.

O que importa mesmo, é que o Ministro do STF Edson Fachin (aquele que negou o HC de Lula) sendo o responsável por sua prisão (Será que Teori o seria?), com a mesma caneta, rejeitou semana passada, a denúncia de corrupção de vários políticos do Partido Progressista- PP (maior partido presente na operação Lava Jato). Situação inusitada, que põe em cheque a idoneidade e verdadeira cegueira dessa Justiça.

Lula está preso sim, mas as suas ideias estão livres, leves, soltas e só crescem a cada dia. Podem até impedi-lo de retornar à presidência, tudo é possível. Mas jamais vão impedir dezenas de milhares de outros Lulas de chegarem lá.

Faltam apenas 6 meses pro Brasil se livrar dos abusos dessa República Federativa Judicial de Curitiba e subserviência dos tribunais superiores, que longe de promover justiça, estão injustiçando inocentes e indignando o mundo inteiro.

"A soberania está relacionada com valores e qualidade de vida. O que é mais importante: a soberania alimentar ou a soberania dos estados? As Nações Unidas já fizeram um alerta de urgência sobre a questão da fome e da soberania alimentar em muitos países. Por isso, quando a questão é o ambiente, temos de esquecer as fronteiras e pensar no ser humano. Mais do que tudo, é preciso regular as atrocidades contra a natureza do ponto de vista jurídico e humanístico quanto antes", Adolfo Perez Esquivel.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247