Governo que protege terrorista não pode dizer que condena terrorismo

"Não pode falar em combater terrorismo o governo que não lamentou nem se pronunciou quando terroristas de extrema-direita – comprovadamente bolsonaristas e olavistas - praticaram um atentado contra a produtora Porta dos Fundos na véspera de Natal", escreve o colunista Alex Solnik

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia - Para dizer o mínimo, a nota do governo brasileiro a respeito do ataque dos Estados Unidos ao Irã, condenando o terrorismo, excede em hipocrisia, em faltar à verdade e em insultar a inteligência dos brasileiros.

Não pode falar em combater terrorismo o governo que não lamentou nem se pronunciou quando terroristas de extrema-direita – comprovadamente bolsonaristas e olavistas - praticaram um atentado contra a produtora Porta dos Fundos na véspera de Natal.

O principal deles, Eduardo Falzi, que já assumiu a autoria do crime e confirmou que foi avisado que seria preso, está refugiado na Rússia.

A polícia civil do Rio de Janeiro pediu ajuda à Interpol para prendê-lo, mas sua extradição para o Brasil está condicionada a trâmites burocráticos que devem ser conduzidos pelos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores.

Como sabem até as pirâmides do Egito, seus titulares, Sérgio Moro e Ernesto Araújo, são também bolsonaristas e olavistas, e nunca atuam em defesa do Estado e sim do governo, o que indica que envidarão todos os esforços não só para procrastinar a operação, mas para evitar que ela se concretize, pois tudo o que interessa ao governo é abortar a investigação.

Governo que protege terrorista, como está demonstrando, sem constrangimento algum, estimula o terrorismo em vez de combatê-lo.


  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247