Hiroshima, 75 anos

O Brasil tem sua bomba atômica, as mortes pelo covid-19 já superaram as mortes de Hiroshima, aqui, como lá, somos vítimas de um governo genocida. Mais um dia para guardar em nossos sofridos corações, silêncio pelas mortes de antes e de agora



Estive em Hiroshima duas vezes, 1996 e 2017,   em ambas a sensação era de profundo pesar e uma grande tristeza.

A cidade foi reconstruída sob os escombros de uma tragédia e uma mácula que não apagará por séculos.

A crueldade dos EUA de jogar bombas atômicas, numa guerra já vencida, nada ali indicava resistência, a atrocidade representou um dos maiores crimes contra a humanidade. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ir a Hiroshima é não ter condições de fotografar, o registro é da memória, da vergonha humana, o museu e os monumentos  da gigantesca praça da paz mundial é para nos paralisar, nos fazer refletir. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A bela escultura do origami pelas vítimas da leucemia, uma das doenças que assombrou a cidade, é dos efeitos da bomba. Ela representa esperança e nem sempre vencer a doença. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Brasil tem sua bomba atômica, as mortes pelo covid-19 já superaram as mortes de Hiroshima, aqui, como lá, somos vítimas de um governo genocida. 

Mais um dia para guardar em nossos sofridos corações, silêncio pelas mortes de antes e de agora. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É preciso parar com as mortes e com a conivência desse catástrofe que atinge o Brasil, não criar um museu dos mortos, mas lutar contra o genocídio. 

#tbt #hiroshima

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email