Ibope: Erundina pode se tornar prefeita de São Paulo

Erundina tem todas as condições de se tornar um misto de Sanders, com Pablo Iglesias do Podemos e a recém eleita prefeita de Roma, Virgínia Raggi, do Movimento Cinco Estrelas

erundina
erundina (Foto: Renato Rovai)

A mais recente pesquisa Ibope para a prefeitura de São Paulo mostra que a ex-prefeita e atual deputada federal pelo PSOL, Luiza Erundina, com seus 81 anos, é o fato novo desta eleição. Erundina tem 8% das intenções de voto contra 10% de Marta, 7% de Haddad, 6% de João Doria e 26% do líder Celso Russomano.

A questão é que Erundina mal anunciou, de fato, sua candidatura. Enquanto isso Russomano é candidato desde o dia em que não foi para o segundo turno na última eleição. Marta é candidatíssima desde que saiu do PT e já apareceu em vários programas do PMDB. Haddad é o atual prefeito. E João Doria tem tido grande espaço na mídia mesmo antes de se decidir pela disputa paulistana.

Erundina tem todas as condições de se tornar um misto de Sanders, com Pablo Iglesias do Podemos e a recém eleita prefeita de Roma, Virgínia Raggi, do Movimento Cinco Estrelas.

Esses candidatos têm feito disputas por fora dos sistemas tradicionais. Com poucos recursos e sem fazer parte de partidos estruturados, esses candidatos e tantos outros, como as atuais prefeitas de Madrid e Barcelona, se utilizam da força do discurso e da militância de redes e de ruas como sua força propulsora, o grande diferencial.

Evidente que, com o pouco tempo TV que Erundina terá, sua tarefa não será nada fácil. Mas, na opinião do blogueiro, se por um acaso ela for para o segundo turno, será uma candidata quase imbatível.

Por outro lado, essa pesquisa Ibope traz notícias muito ruins para a o prefeito Haddad, cuja gestão não merece ser tão mal avaliada. Mas o desgaste do PT somado à péssima gestão de comunicação do seu governo acabam se tornando uma tempestade perfeita para as suas pretensões eleitorais.

Haddad está longe de ser um candidato sem chances. Até porque ele tem o que defender e terá tempo para isso na propaganda eleitoral. Mas essa notícia de Erundina à frente lhe cria grandes problemas para dialogar com o campo progressista da cidade. Haddad deixa de ser a opção natural deste segmento e terá que mostrar que tem mais condições de fazer um bom governo e de ganhar a eleição do que a candidata do PSOL.

As eleições de 2016 tendem a ser as mais surpreendentes desde a redemocratização e por isso mesmo o fenômeno Erundina não pode ser desconsiderado. É um daqueles acontecimentos  quase impossíveis, mas num momento como o atual, o quase impossível não pode ser descartado.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247