Isto é Temer: sobe para 116 presos massacrados no país em duas semanas

Pela sua formação fascista, a mídia adora a carnificina nos presídios porque não há um branco e rico sequer entre as vitimas. São pretos e pobres, invisíveis aos olhos da sociedade. São alguns a menos a incomodar os abastados. São negócios para os gestores de presídios privados — contribuidores de campanhas

Parentes de presos esperam por notícias em um posto de controle próximo à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, a maior do Estado de Roraima 06/01/2017 REUTERS/JPavani
Parentes de presos esperam por notícias em um posto de controle próximo à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, a maior do Estado de Roraima 06/01/2017 REUTERS/JPavani (Foto: Esmael Morais)
Siga o Brasil 247 no Google News

Na madruga deste domingo (15) foram confirmas 10 novas mortes de detentos na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, na região metropolitana de Natal, no Rio Grande do Norte. Esses presos que estavam sob a custódia do Estado tiveram a cabeça arrancada de seus corpos e atiradas ao pátio. 

A carnificina iniciada neste sábado (14) — e concluída hoje — elevou para 116 o número de mortos em três eventos em apenas 2 semanas deste início de 2017. Isto é Michel Temer, que não tem um plano para conter os massacres. Pelo contrário, aplaude para o público interno, mas tem frouxos intestinais com a repercussão internacional. Portanto, um banana.

Se o Estado não tem condições de garantir a integridade física dos presos, pois bem, soltem-nos. Não é possível um sistema prisional manter 40% presos provisórios, sem julgamento, e outros 25% devido à repressão às drogas cujo potencial ofensivo à sociedade é baixíssimo.

Pela sua formação fascista, a mídia adora a carnificina nos presídios porque não há um branco e rico sequer entre as vitimas. São pretos e pobres, invisíveis aos olhos da sociedade. São alguns a menos a incomodar os abastados. São negócios para os gestores de presídios privados — contribuidores de campanhas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email