Lula revela seu maior segredo

"Lula é um mestre do estoicismo, provavelmente sem saber", explica Eduardo Guimarães

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


Ao ver Lula quase com as mãos na taça, sendo cada vez mais apoiado pelo povo e por grande parte daqueles que chegaram a pedir e a comemorar a sua desgraça entre 2013 e 2018, até o mais arrogante dos homens se pergunta como ele consegue triunfar após ter chegado tão perto do abismo. 

Na última quarta-feira (27), o ex-presidente deu entrevista aos jornalistas Kennedy Alencar, Carla Araújo e Alberto Bombig, do UOL. Quem teve a paciência de assistir à longa entrevista, não se arrependeu. Lula revelou ser um discipulo diligente da Escola Estoica, vertente da filosofia que ele adota de forma claramente intuitiva. 

Lula é um mestre do estoicismo, provavelmente sem saber. Na crise descomunal que se alevantou contra si, apelou àquilo que podia controlar: seus pensamentos, comportamento e ações, aceitando com tranquilidade tudo o que estava fora de seu controle... No caso, a prisão e a uma das maiores campanhas de difamação que a humanidade já viu. 

Você não gostaria de ser igual a ele? Não lhe seria útil enfrentar com estoicismo o inevitável, à espera de que a força natural da verdade exercesse seus efeitos inexoráveis? Pois então vale a pena conhecer a resposta que o ex-presidente deu aos jornalistas do UOL quando perguntado sobre corrupção e sobre eventuais rancores e desejo de vingança que eventualmente esteja acalentando contra seus algozes. 

Kennedy Alencar perguntou: 

"Presidente, o [ex-juiz Sergio] Moro, setores da imprensa, inclusive, dizem que o senhor não é inocente apesar do princípio constitucional de presunção da inocência e a anulação do processo, no caso do senhor, seria mera formalidade (...)  Eu queria saber como o senhor responde a esse tipo de crítica"

Lula respondeu:

"Olha, deixa eu lhe falar uma coisa com muita sinceridade... Eu vou falar olhando nos teus olhos, nos olhos da Carla e nos olhos do Bombig: eu duvido que, na história deste país -- na história passada e na contemporânea --, tenha um governo que tenha tratado mais de combater a corrupção que o do PT. 

Eu tenho dito que a corrupção só aparece quando tem liberdade. Ela só aparece quando tem possibilidade de investigação. O PT criou o Portal da Transparência. As pessoas podem acompanhar as coisas da administrção em tempo real. O PT criou a Lei de Acesso à informação, em que cada um de vocês [jornalistas] pode saber até a qualidade do papel higiênico que o presidente utilizava. O PT nunca fechou a porta para investigação. Nós fizemos a lei [das organizações criminosas], nós que criamos a delação [premiada, usada pela Lava Jato contra o ex-presidente].

(...) 

Agora, o que foi grave nisso? O que foi grave  é que o 'seo' Dallagnol montou uma quadrilha, manchando o nome do Ministério Público, que é uma instituição muito séria. E por ser séria ela tem que ter responsabilidade; o 'seo' Moro, dever ter algum momento em que ele se olhava no espelho e se achava um 'deus'. E a  imprensa fomentava, a imprensa divulgava...

Eu tive 13 horas de Jornal Nacional contra mim, eu tive 59 capas de  revista contra mim, eu tive 680 editoriais contra mim, porque as pessoas pensaram que eu estava 'morto'. E as pessoas não sabiam que quem nasce em Caetés [PE] e não morre de fome até 5 anos de idade, não vai ter  medo de denúncia. 

(...) 

Kennedy, qual é a acusação contra mim? Eu cometi um 'fato indeterminado'. Que é 'fato indeterminado'?! Você que é jornalista... Ele não sabia que crime eu cometi. (...) Ele votaram pra me condenar porque fazia parte de uma estratégia para não me deixarem ser candidato a presidente, achando que o Lula iria morrer...

Pois cá estou eu: feliz, casado de novo, casei dia 18 de  maio. Hoje, sou um homem apaixonado pelo Brasil, apaixonado para resolver os problemas do Brasil e apaixonado pela Janja. Você acha que um homem desse  vai ter 'ranço' contra quem? Contra figuras que eu nem conheço?"

Sobre corrupção, Lula poderia ter dito que basta ouvir o procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima, que confirma o que Lula disse em entrevista à Folha de São Paulo. O procurador afirmou, durante palestra em São Paulo, em 2016, que os governos do PT permitiram o fortalecimento da Polícia Federal e do Ministério Público. 

Disse ele: 

"Um ponto positivo que os governos que estão sendo investigados, os governos do PT, têm a seu favor é que boa parte da independência atual do Ministério Público, da capacidade administrativa, técnica e operacional da Polícia Federal decorre de uma não intervenção do poder político". 

Sobre a forma  como Lula encara aqueles que tentaram desgraçar sua vida, ele simplesmente constata que seus algozes (Moro, Dallagnol, PSDB e mídia) estão afundando no que eles mesmos criaram com as todas aquelas horas no Jornal Nacional, com todas as capas de revista e com todos os editoriais acusando-o do que nunca provaram que fez. 

Estoicismo é o segredo de Lula. Sem conhecer os meandros da filosofia, Lula deu uma aula sobre como a filosofia imanente de um homem bom pode levá-lo a superar o maior dos obstáculos mantendo a dignidade, a serenidade, a esperança, a coragem e, acima de tudo, o bom humor.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247