Lula, Stédile, trabalhadores e esquerda tem de ocupar as ruas do País se o golpe passar no domingo

Lula, Stédile, trabalhadores e esquerda tem de ocupar as ruas do País se o golpe passar no domingo. Os democratas, os garantistas, os legalistas e os constitucionalistas não vão permitir que a jovem democracia brasileira tenha suas raízes arrancadas para que os golpistas de direita possam se apropriar do Brasil. Não vai ter golpe! Já tem luta!

Brasília- DF 16-04-2016 Ex-presidente, Lula e lideranças sindicais, paralmentares durante ato no acampamento do MST em Brasília. Foto Lula Marques/Agência PT
Brasília- DF 16-04-2016 Ex-presidente, Lula e lideranças sindicais, paralmentares durante ato no acampamento do MST em Brasília. Foto Lula Marques/Agência PT (Foto: Davis Sena Filho)

Vamos direto ao assunto e ao que tem de ser feito. Se o golpe de estado travestido de legalidade não for derrotado no domingo, o ex-presidente Lula, o líder nacional dos Sem Terra, João Pedro Stédile, o líder nacional dos Sem Teto, Guilherme Boulos, o líder nacional da Via Campesina, Cedenir de Oliveira, além da CUT, da UNE, da CNBB, dos partidos de esquerda, à frente o PT e o PCdoB, bem como os 54.5 milhões de brasileiros, que votaram em Dilma Roussef para reelegê-la, têm de ocupar as ruas.

E não é somente isto. Tem de parar o Brasil e mostrar à burguesia (empresários, políticos e servidores públicos do Judiciário) e à pequena burguesia (classe média coxinha reacionária e despolitizada) que são os trabalhadores que produzem, de fato, as riquezas do Brasil, assim como podem pará-lo, a piorar ainda mais a crise política e econômica, porque na mão grande e na canalhice, ou seja, por intermédio de um golpe criminoso promovido pela direita brasileira e sua casa grande há muito tempo desesperada por não controlar há quase 14 anos o Orçamento da União, o impeachment sem motivo factual não vai acontecer.

O golpe de estado surreal, porque quem tenta concretizá-lo são políticos e empresários que são réus ou respondem a inúmeros processos na Justiça, além de que os lideres do golpe estão mais sujos do que pau de galinheiro, nas pessoas de Michel Temer, Eduardo Cunha e seus áulicos do golpe, como as famigeradas Organizações(?) Globo da famiglia Marinho, além de outros setores historicamente golpistas como a Fiesp e grupos indevidamente politizados e partidarizados da Justiça, do MPF e da PF.

É simplesmente uma crônica do absurdo e de horrores, porque as acusações contra a presidenta trabalhista formam uma peça jurídica na qual a verdade e a realidade são tratadas incrivelmente apenas como irrelevantes detalhes, em um mundo fantástico dos contos dos irmãos Grimm, como Rapunzel, Cinderela e Chapeuzinho Vermelho, pois as denúncias e as acusações são infundadas, descabidas e, portanto, sem nenhuma consistência que possa levar Dilma Rousseff a cair do poder por meio de um impeachment sem crime de responsabilidade.

O golpe de estado e mal engendrado não vai vicejar, vencer e acontecer. Que não vai, não vai, pois quem viver verá... Esse golpe criminoso de direita, da direita e para a direita vai ser derrotado ainda na Câmara dos Deputados e não chegará ao Senado, onde também seria derrotado, porque, na verdade, trata-se da maior farsa e fraude política da história do Brasil, além de crime contra a Constituição, o Estado Democrático de Direito, a Democracia e contra o povo brasileiro, que ficou décadas sob o jugo de uma ditadura empresarial-militar, que calou as pessoas, as censurou, as perseguiu, as exilou, as torturou e as matou.

Se o golpe do impeachment passar, os golpistas, porém, não passarão. Não vão dar o golpe e ficar imunes ao que fizeram, mesmo os golpistas anônimos das turbas coxinhas, porque suas consciências mais cedo ou mais tarde perceberão que apoiaram um golpe de estado para que políticos corruptos assumissem o poder e, com efeito, governar de forma ilegítima o Brasil. Sem legitimidade não há paz social e nem política. Não há crescimento econômico, mas haverá guerra, porque um governo de direita formado por golpistas, cuja maioria acusada de corrupção não possibilitará qualquer trégua, acordo, negociação e, consequentemente, o País ficará ingovernável.

Ninguém vai aceitar ser vítima de golpe mequetrefe e inconstitucional, não ter seu voto em Dilma Rousseff validado e ver usurpadores do poder republicano e da democracia a assumir a Presidência da República sem o crivo das urnas e desprovidos de qualquer legitimidade política e institucional. Ninguém é otário ou burro. Um golpe nos tempos de hoje significa retroceder o Brasil a 1964.

Não há mais espaço para a casa grande brasileira tratar o Brasil como se fosse seu quintal para a "elite" se locupletar e manter o País e seu povo presos aos grilhões do atraso econômico e do retrocesso das garantias constitucionais e das conquistas sociais. Se a burguesia e seus aliados coxinhas de classe média consideram que vão dar um golpe criminoso e ficar depois tudo bem, como se nada tivesse acontecido vai ser um inenarrável engano., porque vai ter reação e luta, que será nas ruas das cidades e nos campos. E por quê? Porque golpe sem crime de responsabilidade é inaceitável! Simples assim.

Se o golpe vicejar, Michel Temer e seu bando de golpistas não vão governar, a começar que as greves serão gerais e vão parar o País, só para início de conversa, bem como as rotinas das cidades vão ficar mais duras, porque ninguém em sã consciência vai aceitar quieto e conformado um golpe efetivado pela direita, porque ela não aceitou sua quarta derrota eleitoral consecutiva. A verdade é que o fato notório e específico é este: a não aceitação da derrota para o PT por parte dos demotucanos, tanto é real que Aécio Neves no outro dia estava nas ruas a propalar o golpe e a contestar, inclusive, a contagem dos votos na Justiça.

Depois o golpe cresceu na imprensa de mercado e alienígena dos magnatas bilionários, no sistema judiciário partidarizado, nos segmentos empresariais mais atrasados e conservadores, a exemplo da Fiesp e de seu pato amarelo corrupto e sonegador e, obviamente, nas associações patronais rurais, que combatem há séculos a reforma agrária e contratam jagunços para matar camponeses, que ocupam terras devolutas e improdutivas.

Entretanto, vai acontecer muita coisa que esses golpistas de direita e inconsequentes nem imaginam, porque gente irresponsável e sem discernimento somente se importa com os fins que suas más ações podem lhes propiciar, mas existem os meios e nesses meios se encontra a resistência de dezenas de milhões de pessoas contra o golpe de estado injusto e inconstitucional, porque não há crime de responsabilidade cometido pela presidenta eleita pelo PT.

Está mais do que na hora dessa crise política sem precedentes terminar. Está na hora de a direita parar para pensar no grave erro que está a fazer e a cometer. Grande parcela da população brasileira vai reagir ao golpe de estado de direita. Isto está mais do que posto. Michel Temer e Eduardo Cunha são golpistas e mentirosos descarados, porque o golpe do impeachment não tem base legal.

Lula, Stédile, trabalhadores e esquerda tem de ocupar as ruas do País se o golpe passar no domingo. Os democratas, os garantistas, os legalistas e os constitucionalistas não vão permitir que a jovem democracia brasileira tenha suas raízes arrancadas para que os golpistas de direita possam se apropriar do Brasil. Não vai ter golpe! Já tem luta! Golpe nunca mais!

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247