Ministro da Educação vai para o paredão do “Big Golpe Brasil” e poderá ser a 4ª baixa de Temer

Na prática, Mendonça Filho furou a fila do paredão. Há outros ministros a caminho do cadafalso, ou seja, da defenestração em virtude de ações criminais e/ou delações premiadas. Ele deverá disputar a preferência dos procuradores da Lava Jato com o também interino Geddel Vieira Lima

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O ministro interino da Educação, Mendonça Filho (DEM-BA), como já era esperado, foi para o paredão do "Big Golpe Brasil" e poderá ser a quarta baixa no governo provisório de Michel Temer (PMDB).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que há indícios de recebimento de propina pelo ministro interino.

Janot pediu autorização ao Supremo para abrir procedimento de investigação contra Mendonça, que teria abiscoitado R$ 100 mil em propina disfarçados de doação na campanha de 2014.

Na prática, Mendonça Filho furou a fila do paredão. Há outros ministros que também estão a caminho do cadafalso, ou seja, da defenestração em virtude de ações criminais e/ou delações premiadas.

O ministro interino da Educação deverá disputar a preferência dos procuradores da Lava Jato com o também interino Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), ministro da Secretaria de Governo.

Em pouco mais de um mês, o golpista Temer já perdeu três ministros (Romero Jucá, do Planejamento; Fabiano Silveira, da Transparência; e Henrique Alves, do Turismo).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247