Na Lua tem manga?

A cada declaração dada por qualquer ministro do atual governo, fico com a impressão de que eles foram escolhidos numa seleção de casting para o "Zorra", da rede Globo

Na Lua tem manga?
Na Lua tem manga? (Foto: LUIS MACEDO - CÂMARA)

A cada declaração dada por qualquer ministro do atual governo, fico com a impressão de que eles foram escolhidos numa seleção de casting para o "Zorra", da rede Globo. E o que era apenas uma impressão, passa a ser convicção quando eu vejo a ministra da agricultura, Tereza Cristina, dizer que: "Países que já tiveram guerra e passaram fome é segurança nacional. Nunca tivemos guerra e nós não passamos muita fome porque temos manga nas ruas em nossa cidade e clima tropical."

Eu não entendi nada do que ela disse ou tentou dizer. Na verdade, não entender a retórica obtusa, distópica e ensandecida, utilizada pelos membros do governo Bolsonaro, é sinal de sanidade mental. A todo instante, é um 7x1 diferente. A ministra da mulher, Damares Alves, sugeriu pintar de rosa e lilás, as salas do IML no Acre, para que as mulheres vítimas de violência sintam-se num ambiente mais leve, familiar e acolhedor. Se for para aderir a cromoterapia, como cura para a violência doméstica, seria melhor pintar os maridos agressores nas mesmas cores. Quem sabe, eles não se tornariam mais leves, mais familiares e mais acolhedores?

Outro dia, o vice General Mourão, tentando mostrar-se alinhado com o presidente, declarou que está que nem um paraquedas com Bolsonaro. "Estou com ele e não abro" Um lapso golpista, que deixou escapar o seu desejo de ver o chefe cair do planalto. Não o julgo pelo ato falho com o seu superior. Se eu fosse um paraquedas, eu também não abriria. Talvez, nem precisasse. O presidente já demonstrou que não tem medo de altura. Ele sabe voar. Pelo menos na imaginação. Pois isto, foi o que ele mais fez nesses três meses de desgoverno.

Só que a viagem de Bolsonaro, a bordo de sua maionese estragada, pode custar caro aos nossos estômagos. É muito mais perigoso do que misturar manga com leite. O que deve voltar a ser proibido, em breve, por um governo que pensa e age como a minha tataravó. A ministra da agricultura, que é aliada dos ruralistas, está alinhada com os indigestos argumentos apresentados por um grupo que caiu de paraquedas no poder. Eles estão brincando de governar. Não há nenhuma preocupação em ser, no mínimo, razoável. Não há o menor pudor em falar bobagens.

O atual governo é a proposição do escatológico, como cura para o absurdo. É a destruição da pátria de forma lúdica e cívica. É a maior mentira que a política nacional já produziu. Um blefe! Talvez, por isso, Bolsonaro tenha dito em seu último descuido, digo, discurso, que não quer a garotada se interessando por política. "Não do jeito que tá aí" Ele deseja que nossos jovens, que mal sabem fazer um regra de três simples (Eu duvido que ele também saiba, mas isto não vem ao caso. Ele não é professor de matemática. É presidente da república.), se interessem por coisas que possam levá-los ao espaço.

A referência intergaláctica, foi feita ao astronauta Marcos Pontes, que faz parte de seu ministério e estava na platéia. O seu medo de ver a garotada envolvendo-se com política, é natural. Hoje, qualquer moleque do ensino fundamental, sabe que o nazismo é de direita, que os militares deram um golpe em 1964 e que ele, o presidente, não nasceu para estar no cargo que ocupa. Isto, dito por ele mesmo. O problema é a garotada se empolgar com os assuntos espaciais e querer mandá-lo pra lua, juntamente com a ministra da agricultura e todo os demais que compõe o seu governo. O que não seria uma má ideia.

Se na lua tiver manga, de fome eles não morrem.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247