O quinto episódio do livro Antifascistas

Na TV 247, o Antifascistas é o maior lançamento virtual de um livro até hoje.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Antifascistas já entrou no futuro do Brasil. 

NÃO PULE ABERTURA 

Na TV 247, o Antifascistas é o maior lançamento virtual de um livro até hoje. 

O quinto episódio é o quarto lançamento.

HÁ 7 DIAS

Na quinta-feira 4/06/2020, foi a vez do encontro da escritora Cristina Judar e dos escritores Jeferson Tenório e Rodrigo Novaes de Almeida.

Nesse lançamento virtual e nos próximos, os episódios são apresentados por Regina Zappa, autora de um dos contos, e Leonardo Valente, um dos organizadores do Antifascistas, ao lado de Carol Proner. Como sempre, a resistência na literatura contra o fascismo. E vamos sem demora aos trechos dos três autores, sem spoiler.

Cristina Judar no conto “Malditos impopulares (e alguns palpites)”: 

“Em 2055 não haverá mais gênero.

 Em 2055 um pântano será o Brasil. 

Homens-autoridade usam um instrumento invisível para definir o que é bom ou ruim, assim na vida como na literatura. Vida e literatura formam um só corpo, embora dancem em ritmos diferentes. Homens verde-amarelos querem nos mergulhar em caldeirões fumegantes. Bruxas nos visitam em sonhos, emergidas de buracos no gelo. A nós, sussurram mensagens incompreensíveis.

As palavras “mommyx rupsalam vicxis, pirisrefam haphejon vahi namalope wesa-mari” são a síntese de suas falas inapropriadas aos nossos ouvidos contemporâne-os. Em tradução livre, trata-se de algo como:

Ter medo de morrer, ao já estar aniquilado, é o que vocês chamam de vida” 

Jeferson Tenório no conto “Abordagem”: 

“No dia em que tudo aconteceu, eles não chegaram de carro. Chegaram a pé. Vindo do meio dos arbustos. Ninguém corre porra, gritaram. Traziam com eles o Nego Tinho pelo braço. Vocês não sabiam dizer como ninguém percebeu que os policiais tinham colocado a viatura no início da lomba, bem onde começava a praça. Um dos policiais chutou a perna do Caminhão. Ele não chorou. Depois te deram um tapa na cabeça. Você também não chorou, mas queria. A gente avisou que não era pra voceis aparecerem por aqui, porra? Perguntou um deles. Já mandamos chamar o camburão. Vamo levar voceis tudo pra dar um passeio, seus merdinhas. E nisso, o Michel Jackson levou um tapa no rosto. Ao olhar para lado, você notou a ausência do Pão com Ki-suco. Deve ter sido o único que conseguiu fugir. Você tentou se comunicar com o Nego Tinho, mas os policiais mandavam vocês baixarem a cabeça. Ainda de relance você pode ver, ao longe, o seu Armindo na janela da casa dele, acompanhando tudo. Vocês sentiam raiva. Uma raiva dolorida” 

Rodrigo Novaes de Almeida no conto “Cada palavra, uma morte”:

“Hoje não carrego cartas comuns em minha bolsa, mas um desses telegramas do governo central. Todos sabemos do que se trata. É a morte. Ou, antes, a notícia da morte de alguém amado para seus entes. Neste caso, para o senhor e a senhora Araújo, um casal de idosos pelo qual tenho afeição. Eu os conheci há alguns meses, quando passei a fazer as entregas no distrito que residem. Oferecem-me biscoitos e, às vezes, chá. São muito simpáticos, e sofrem por não ter notícias do filho desde o início da guerra. Eles têm esperança de que esteja vivo em algum lugar do Norte, onde as batalhas continuam. O rapaz foi lutar contra o regime que neste momento nos mantém reféns. Foi lutar por democracia e Estado laico. A senhora Araújo contou-me a história do filho tempos atrás, e eu disse que não a revelasse a mais ninguém, que não deveria ter me contado, pois era um risco desnecessário e ela e o marido poderiam ser presos apenas por proferir tais palavras. Então a senhora Araújo me respondeu de forma doce que não tinha medo”

HÁ 24 HORAS 

No quinto lançamento na TV 247, na mais recente quinta-feira, houve outro time muito bom, sempre a jogar pela esquerda. O ataque foi assim escalado: Eliane Potiguara, Leonardo Tonus e Wanda Monteiro. Apresentados por Regina Zappa e Leonardo Valente. Imaginam o que vem dessas feras dignas do Brasil que desejamos? Na próxima semana eu conto. 

CRÉDITOS DO EPISÓDIO 

Enquanto as próximas emoções não vêm, aconselho que adiantem a maratona antifascista com a leitura total do livro Antifascistas. À venda aqui: Editora Mondrongo.

RESUMO DA SÉRIE

Cada antifascista é um leitor. Cada leitor é um antifascista.  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247