Os ensaios de Bolsonaro

É visível que o Massacre no Jacarezinho, no dia 06 de maio, foi um teste, demonstração de força do uso do aparato repressivo, opressor e canalha da parte aliada a essa proposta criminosa de um Estado mafioso, infelizmente, instituído através do processo eleitoral

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Hoje dia 13 de maio, Dia da Consciência Negra, Bolsonaro em seu desespero quer mostrar força. Agindo como um projeto de ditador, vai ao Estado de Alagoas, cercado pelo Exército, na tentativa de mostrar um apoio que, aparentemente, vem se diluindo cada vez mais.

É visível que o Massacre no Jacarezinho, no dia 06 de maio, foi um teste, demonstração de força do uso do aparato repressivo, opressor e canalha da parte aliada a essa proposta criminosa de um Estado mafioso, infelizmente, instituído através do processo eleitoral.

É preciso lembrar que desde o golpe de 2016, não vivemos em um processo democrático, e a eleição de Bolsonaro, apesar de inúmeros outros fatores, foi conduzida por uma campanha midiática violenta contra políticos progressistas, fundamentada na farsa da Lava Jato, com apoio total do sistema judicial eleitoral, que não impediu todos os crimes cometidos pela chapa Bolsonaro/Mourão, e ainda impediu a candidatura da única pessoa que nos livraria dessa tragédia que vivemos hoje no país, o ex-Presidente Lula.

As forças democráticas precisam estar atentas aos movimentos e ensaios praticados por essa corriola que tomou o Estado brasileiro, e dá todos os sinais de que não sairá tão facilmente, não antes de provocar mais mortes, seja impedindo o combate e as medidas necessárias para proteger a população da pandemia, seja assassinando seres humanos com o uso das milícias, o braço armado dos mafiosos.

Calar diante da ação do Massacre no Jacarezinho é omitir-se e coadunar com a possibilidade que se desenha à nossa frente, uma ditadura violenta.

Precisamos ter consciência sobre as ações e os movimentos feitos por essa máfia, não são apenas loucuras ou blefes, há um ensaio para ver a reação, há o uso da violência para que tenhamos medo, para nos imobilizar e, simplesmente, silenciar qualquer oposição a eles.

A ação policial no Jacarezinho teve a intenção de mostrar a força letal que possuem, entraram na região e assassinaram pessoas indefesas, não há como falar em confronto, principalmente, após a divulgação que os mortos foram atingidos na cabeça, abdômen e costas. Não há justificação para o que ocorreu no dia 06 de maio no Rio de Janeiro, a não ser o uso da violência como controle social, como ensaio para a reação da sociedade diante do descumprimento da decisão judicial proferida pelo STF, e a solidariedade e dor com as mortes.

A máfia bolsonarista está a todo momento testando nossos limites, o quanto reagiremos frente a violência que nos impõem, chegando ao extremo de assassinarem seres humanos, a sangue frio e escondidos em seus cargos, e na falácia que estão prestando segurança à sociedade. Na verdade, essas ações estão nos imobilizando e gerando pânico, estamos lutando por sobrevivência.

Por isso, no dia de hoje, que é dia de luta, devemos nos inspirar nos que não se submeteram, não devemos permitir que nos imponham o esquecimento da nossa História, e daqueles que foram presos e mortos na luta para a criação de um Estado Igualitário e Livre.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email