Palocci é o Fausto, vende sua alma e se converte em um reles sabujo - Lula, Dirceu e Vaccari

Para poder sair da cadeia e voltar à sua vidinha empresarial na iniciativa privada em meio aos ricos que tanto o apetecem, Palocci não mediu as consequências de suas irresponsabilidades e passou a mentir mais do que o Pinóquio

Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil em governos recentes do Partido dos Trabalhadores, chega a Curitiba 26/09/2016 REUTERS/Rodolfo Buhrer
Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil em governos recentes do Partido dos Trabalhadores, chega a Curitiba 26/09/2016 REUTERS/Rodolfo Buhrer (Foto: Davis Sena Filho)

"A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores. Política e moralmente, Palocci já está fora do PT". (Gleisi Hoffman, senadora e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores em resposta à "carta" do ex-ministro Antônio Palocci, que, ao se tornar um reles sabujo de seus inquisidores, também o é mentiroso)

Existem homens e homens; mulheres e mulheres. Há os que têm fibra, assim como os que possuem caráter fraco e se entregam humilhantemente para não perderem suas vidinhas cômodas e confortáveis, o que é, sem sombra de dúvida, o caso do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, que, tristemente e subservientemente, apareceu em vídeos nos quais o sabujo preso só faltou se ajoelhar para lamber os sapatos do juiz Sérgio Moro, o ditadorzinho da província das araucárias e do PSDB do Paraná.

Até os meganhas e togados dos mais mal-intencionados sabem disso e compreendem com quem podem contar por meio de métodos legais ou ilegais, de acordo com a "freguesia", como acontece com a "santa inquisição" da Lava Jato comandada pelos arautos e os varões de Plutarco, que, em nome do combate à corrupção, ajudaram, e muito, a submeter o Brasil a uma condição de republiqueta bananeira, que tem por finalidade maior consolidar o golpe dos bandidos de direita e afastar, de qualquer maneira, o ex-presidente Lula das eleições presidenciais de 2018.

Mas, para implementar tal processo maquiavélico e draconiano, pleno de arbitrariedades e covardias que não coadunam com o Estado Democrático de Direito e a Constituição, os juízes, em especial o Sérgio Moro, e os procuradores, a exemplo de Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, bem como os delegados Igor Romário de Paula, Leandro Daiello e Marlon Cajado, necessitam fundamentalmente de indivíduos com carácteres fracos e nenhuma disposição para enfrentar as agruras da vida, ainda mais quando se trata da impiedosa luta política, que não é realmente para qualquer um enfrentar.

Para poder sair da cadeia e voltar à sua vidinha empresarial na iniciativa privada em meio aos ricos que tanto o apetecem, Palocci não mediu as consequências de suas irresponsabilidades e passou a mentir mais do que o Pinóquio. Tornou-se, por livre arbítrio, um cidadão pusilânime e de triste figura, a se entregar à desmoralização moral e citadina, além de renunciar seu passado e sua história. Fraco de caráter, Palocci fugiu da luta como o faz o galo medroso e covarde, que foge da pua ou da espora de seu contendor. Palocci é poltrão.

Não se importa com nada, a não ser sair o mais rápido possível do cárcere, mesmo se o preço for vender sua alma àqueles que estão no poder e fazem do Judiciário um partido político de direita e que está disposto, doa a quem doer, impedir que o Lula seja presidente pela terceira vez. Porém, para isto, necessita de mentiras e cafajestadas por parte de gente do nível de Marcelo Odebrecht, Leo Pinheiro, Delcídio do Amaral e Antônio Palocci, dentre muitos outros, que, desesperados para sair da cadeia, refazem seus depoimentos aos bel-prazeres dos procuradores, delegados e juízes, que formaram uma frente política e ideológica que tem, sobretudo, o propósito de intervir na política, bem como para isto tem de criminalizá-la e judicializá-la.

Contudo, Palocci se desdiz, pois suas contradições, a exemplo das perpetradas por Leo Pinheiro e Marcelo Odebrecht, não conseguem fechar uma delação propositiva, objetiva, lógica e baseada em provas materiais contundentes. Em seu despacho perverso e injusto, por isto político e partidário, quando decidiu pela condenação de Lula, o juiz Moro, que jamais prendeu ou prenderá um tucano golpista, ladrão e corrupto na vida, porque com os tucanos o magistrado de província apenas tira fotos e se deixa ser filmado a sorrir e a confraternizar, apenas confirmou à sociedade que o ex-presidente já estava condenado muito antes de virar réu, fato este que chama a atenção do mundo jurídico, inclusive em âmbito internacional.

Moro foi denunciado, mas a verdade é que o juiz reconheceu em despacho que responde aos embargos de declaração apresentados pela defesa de Lula, que ratificam que o político trabalhista e de esquerda não foi beneficiado por valores oriundos da Petrobras. O reconhecimento do magistrado foi explícito, mas mesmo assim resolveu estabelecer uma sentença condenatória a quem não cometeu quaisquer crimes. E têm patetas que não acreditam que o Brasil está a viver em um regime de exceção imposto por membros do Judiciário.

Essa gente não consegue compreender que o Poder Judiciário não dá satisfação ao voto, pois se negou a se submeter às urnas de 2014, bem como pretende decidir, absurdamente, como o povo deve votar e em quem votar, o que se comprova, indubitavelmente, por intermédio da perseguição sistemática e por meio de Lawfare contra o Lula, cuja eleição sem sua presença se tornará a maior fraude e farsa da história republicana. E promovidas, inacreditavelmente, pelo Judiciário!!! Seria surreal, a principal representação popular do País ser impedida pelo Judiciário de não concorrer às eleições, sem ter sido comprovado malfeito algum praticado pelo líder de esquerda. Eleição decidida no tapetão.

"Este juízo jamais afirmou na sentença, ou em lugar algum, que os valores obtidos pela construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram utilizados para pagamento de vantagem indevida para o ex-presidente" — reconhece Moro. A verdade é que o processo não poderia ser julgado na 13ª Vara Federal de Curitiba, porque o juiz também reconheceu que Lula não é de fato, ou seja, preto no branco, o dono do imóvel de Guarujá, que foi concedido pela OAS como moeda para seus negócios junto à Caixa.

Portanto, para condenar o Lula, o juiz do PSDB do Paraná teve de recorrer às mentiras e leviandades dos delatores desesperados, que entregariam as suas próprias mães para voltar a usufruir do conforto e das mordomias de suas mansões, como os privatistas e entreguistas do desgoverno do usurpador e traidor *mi-shell temer venderiam também suas mães se fosse necessário para ferrar ainda mais com os interesses do Brasil e de seu povo. Como está a fazer com o País a fórceps e sem anestesia a quadrilha de meliantes celerados, que tomou de assalto o Palácio do Planalto.

Lula não é o proprietário do apartamento do Guarujá. Para conseguir a condenação do ex-presidente, o "intocável" de toga considerou que o apartamento que jamais pertenceu a Lula e a suposta reforma do imóvel foram viabilizados com os recursos de um "imaginário caixa geral de propinas". Realmente, a mediocridade perdeu a modéstia... e a vergonha! Não se preocupam nem mais em disfarçar seus crimes, porque prender um cidadão sem culpa comprovada significa que qualquer cidadão brasileiro está à mercê de delatores e bandidos, que estão à disposição de juízes, delegados e procuradores que, porventura, tenham más intenções, que são retratadas em interesses políticos, partidários, eleitorais, ideológicos e corporativos.

O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto foi inocentado após amargar injustamente um longo tempo preso. Qualquer tempo atrás das grades é longo, quando não se tem culpa. Vaccari foi inocentado, além de ter sido comprovado que seu patrimônio é modesto. E agora? O Moro e os procuradores obsessivos do powerpoint mentiroso e leviano serão presos, punidos, afastados de seus cargos? Ou servidores públicos do Judiciário, tais quais os tucanos, são inimputáveis? Com a resposta, as corregedorias e os conselhos das respectivas corporações. E agora, como fica a remissão e a justiça à honra de Vaccari?

Enquanto isto, os tesoureiros dos partidos golpistas e de direita estão a deitar e rolar, pois jamais foram minimamente molestados pela Justiça e a Procuradoria burguesas de carácteres persecutórios. Um dos principais motivos para o Vaccari poder conseguir sua liberdade de volta foi exatamente a falta de provas, porque sua prisão se baseou apenas em delações, sendo que tal realidade é a mesma de Lula e de José Dirceu, que voltará a ser preso só porque Dirceu é Dirceu, que se tornará mártir, pois perseguido caninamente, a ser um preso político e encarcerado injustamente, bem como, certamente, não se transformará no sabujo Palocci.

Estão a prender ou a perseguir ou a impedir que as lideranças competitivas do PT concorram aos principais cargos do País, porque sabem que a direita não vence eleições. Então, os servidores do Judiciário se apegam até a delações não homologadas e modificadas, conforme o interesse do inquisidor, que não se faz de rogado e acusa e denuncia pela imprensa de negócios privados mais calhorda, golpista e corrupta do planeta, cujos donos um dia terão de responder por seus graves crimes nas barras dos tribunais.

Qualquer coisa serve para concretizar os propósitos da militância política judiciária e, com efeito, vale-se de argumentos frágeis que não consolidam de forma alguma as provas que possam comprovar que determinada pessoa cometeu crimes, como são os casos de Lula, de Vaccari e de Dirceu. O problema é que os três cidadãos citados não roubaram e o Judiciário realmente não se preocupa com esta questão tão grave e pertinente para sua credibilidade perante a Nação e à comunidade internacional, que há muito tempo está a perceber que no Brasil aconteceu um golpe de terceiro mundo, com aquiescência, a cumplicidade e o protagonismo do Poder Judiciário, do MPF e da PF, que se tornaram instituições e corporações golpistas, que atuam no campo ideológico da direita.

Antônio Palocci entregou, como Fausto, sua alma a Lúcifer. Mais do que isto: quer formalizar com o MPF um pacto para diminuir suas penas e, quiçá, ser aceito como delator e, por sua vez, ir embora, em algum dia não muito longe, para sua casa, assim como cuidar de seus negócios privados. Palocci, no poder, demonstrou estar encantado e deslumbrado com o mundo de negócios privados e hoje é tudo no que ele pensa, porque precisa demais curtir a vida, a ter como combustível o dinheiro que ele ganhou ao fazer consultorias para os ricos e muito ricos.

Vazio de propósitos reais como melhorar as condições de vida do povo brasileiro, Palocci se torna um fraco de caráter fútil e leviano, a se valer da mentira, da distorção dos fatos e da manipulação das informações para que ele possa ser beneficiado, doa a quem doer, mesmo ao preço de acusar o Lula sobre episódios dos quais ele não participou, pois não estava presente. Palocci se tornou o Fausto desmoralizado e tratado como um pária moralmente decadente pelos procuradores, delegados e juízes. Palocci é o fim da picada! Trata-se de um "mauricinho" medroso e mentiroso.

Palocci está a ser desmentido sobre tudo o que ele disse ao MPF e ao juiz Moro, do PSDB do Paraná. Um exemplo marcante é quanto ao ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, que desmentiu a carta cretina e leviana de desfiliação de autoria de Palocci. Gabrielli contesta, sem deixar margem à brecha, quando Palocci, lamentavelmente, afirma que participou de uma suposta reunião no Palácio do Alvorada para combinar as propinas relativas às sondas para o Pré-Sal.

"Nunca tive qualquer reunião com o presidente Lula e presidenta Dilma para discutir atos de corrupção relativos às sondas para o Pré-Sal brasileiro" — afirmou Gabrielli, para logo concluir: "Há uma confusão de datas nas falsas alegações de Palocci, uma vez que a pretensa reunião mencionada pelo delator teria ocorrido em 2010, mas os contratos das sondas só efetivamente foram assinados em 2011". Touché!

Evidentemente que será lógico e prático para demover quaisquer dúvidas verificar as atas das reuniões e comprovar as datas dos contratos firmados. Por seu turno, acredito que mesmo com essas retumbantes provas os varões de Plutarco, os heróis da moral e dos bons costumes seriam capazes de tratá-las apenas como detalhes, afinal o Lula foi incriminado em inúmeros processos, sendo que nenhum deles contêm provas materiais incontestáveis e verídicas.

A verdade é que o Lula não roubou, mas quem vão roubar o povo brasileiro no que diz respeito às eleições presidenciais de 2018 serão o Judiciário e o MPF, com o apoio fascista das manchetes e das notícias da imprensa de mercado corrupta e historicamente golpista. A imprensa burguesa e alienígena, que acusa, denuncia, julga, prende e depois lincha em praça pública aqueles que o sistema midiático bilionário e entreguista considera como inimigos a ser destruídos, porque não obedecem e seguem sua agenda ultraneoliberal, antidemocrática, antinacional, antipopular e entreguista.

Antonio Palocci ainda não sabe, mas ele já é o fantasma de si próprio, que assombra sua alma e seu sono. Palocci se desmoralizou e foi "quebrado" pelos verdugos da Lava Jato. Ele ficou perdido como o cachorro que caiu do caminhão de mudança. É galo medroso, que não aguenta a pua, que corta e fere a carne.

Dirceu, Vaccari e Lula suportam a luta sangrenta na rinha política e judicial com coragem e determinação, a manter intactos seus espíritos e a integridade moral, a não se venderem a ninguém para serem beneficiados por meio de mentiras, calúnias, injúrias e difamações. É preferível a morte do que delatar para se dar bem, como disse recentemente o José Dirceu e como o faz Lula, que luta abertamente contra as acusações infames que fazem contra ele. Palocci é o Fausto e o sabujo! É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247