Perdeu-se uma Brasília e um Alagoas

Já passou a hora de entendermos que não podemos continuar nessa trilha de devastação, e que, antes de devermos isso a nós mesmos, à nossa sobrevivência, o devemos ao planeta e às demais espécies que repartem conosco o privilégio de existir, e que, como nós, lutam para manter esse direito, vide o que acontece no Pantanal

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Você percebeu que Brasília e Alagoas desapareceram?

Calma… a cidade e o estado continuam aí, o que aconteceu é que o que foi perdido com o incêndio, em curso, no Pantanal é equivalente à soma dos territórios de Brasília e de Alagoas.

É uma catástrofe!

Há suspeitas bastante plausíveis de intervenção humana no surgimento do incêndio do Pantanal, mas, as investigações não avançam, e tudo pode ser encerrado como um equívoco no manejo de queimadas.

O filósofo francês Michel Serres publicou, em 1990, O Contrato Natural, um chamado para reconciliação com a natureza, onde a natureza seria elevada a sujeito de direitos, e Serres sugeria  a construção de um pacto entre a comunidade humana, como considerada no Contrato Social, como nomeado por Rosseau, e o planeta Terra.

Obviamente, o reconhecimento de direitos ao planeta poria termos aos direitos humanos, não no sentido de suprimi-los, mas, de adequá-los à convivência com o outro sujeito de direitos no esforço para a construção do que chamamos de sobrevivência.

Serres evoca o quadro de Goya, duelo a golpes fortes, onde os contendores duelam afundados, até os joelhos, na areia movediça, sem se dar conta de que não haverá vencedor. Assim se configura a luta entre a humanidade e o planeta.

Essa lógica está proposta na Bíblia, onde Deus sugere uma batalha entre a humanidade e o planeta, a menos que o ser humano se corrija.

Cada vez mais, vamos nos dando conta disso; já passou a hora de entendermos que não podemos continuar nessa trilha de devastação, e que, antes de devermos isso a nós mesmos, à nossa sobrevivência, o devemos ao planeta e às demais espécies que repartem conosco o privilégio de existir, e que, como nós, lutam para manter esse direito, vide o que acontece no Pantanal.

Temos de começar a tratar a natureza como sujeito de direitos.

Em assim sendo, para começar, deveríamos passar a tratar todo ato doloso contra o planeta como um ato terrorismo.

Que legislador ou legisladora proporá essa lei?

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247