Quando a história do Brasil inspira e projeta para Moro mesmo destino de Robespierre, guilhotinado, em nome da corrupção

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)

Bem diferente do que pensa e diz o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, a história nacional é feita de lutas, economia, educação, filosofia, cidadania, etc para oferecer a todos os brasileiros informações indispensáveis como incidem a história do ex-juiz Sérgio Moro, guardadas as proporções , com a menção histórica de “decapitação do extraordinário Robespierre, o homem da “Revolução Francesa”.

Vamos repetir: enquanto na Revolução Francesa, o personagem singular Robespierre teve sua cabeça decepada, a do caso atual do ministro Sérgio Moro não está neste contexto físico, mas na condição politico-social brasileira convivendo estrategicamente com sobrevida com sua cabeça “ já decepada moralmente” nos últimos tempos.

Sua vida virou o inferno que ele próprio construiu com Daltan Dallgnol contra a Democracia brasileira a mando e instruções da inteligência e interesses econômicos da Casa Branca. Ele é o responsável pela prisão injusta e ilegal de Lula, assim como da eleição manipulada de Bolsonaro.

DOIS EM UM

Ambos, sem tirar nem por, assim como os demais asseclas, precisam pagar caro com demissão e cadeia pelos graves crimes cometidos contra o Brasil. Não há espaços para decapitação física, mas moral e legal sim.

1794: a história da decapitaçao de Robespierre  

Consta nos anais que, no dia 28 de julho de 1794, o revolucionário francês Maximilien de Robespierre foi guilhotinado, após boatos de endurecimento da Lei do Terror. Sua morte marcou o começo da última fase da Revolução Francesa.

"Os reis, aristocratas e tiranos, independentemente da nação a que pertençam, são escravos que se revoltam contra o soberano da Terra, isto é, a humanidade, e contra o legislador do universo, a natureza", declarou em 24 de abril de 1793 Robespierre, uma das figuras mais importantes da Revolução Francesa.

Político "incorruptível"

Robespierre ajudou a fundar e foi líder do Partido Jacobino na Convenção Nacional (parlamento francês de 1792 a 1795). Seus discursos captavam o espírito da França revolucionária.  

"É natural que o bom senso avance lentamente. O governo viciado encontra nos preconceitos, nos costumes e na educação dos povos um poderoso apoio. O despotismo corrompe o espírito humano a ponto de ser adorado e, à primeira vista, torna a liberdade suspeita e terrível", afirmara no discurso Contra a Guerra, diz a história.

Conforme o wikipedia, os ideais da Revolução Francesa – liberdade, igualdade e fraternidade – compunham seu slogan predileto. Robespierre tornou-se famoso como político sério e "incorruptível". Seu objetivo era eliminar oa privilégios e instituições do Antigo Regime. Ele propagou ideias revolucionárias para a época, como o sufrágio universal, eleições diretas, educação gratuita e obrigatória, e imposto progressivo segundo a renda.

CONCLUSÃO

Em sintese, o falso brilhante precisou pagar com a vida. Nos tempos de hoje, Moro e companhia não precisam pagar com o grave crime cometido contra o Brasil de decapitação, mas precisam pagar muito caro.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Fantasma do velho comunismo ainda assombra

"O comunismo, que durante muito tempo assombrou o Ocidente, em especial os Estados Unidos, aparentemente hoje só preocupa brasileiros, em particular militares, que vivem o presente com a cabeça no...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247