Quando recebeu R$100 mil em dinheiro vivo, matador de Marielle já era investigado e a polícia não viu

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, apontou que no mês de outubro do ano passado, foi registrado um depósito de R$ 100 mil em dinheiro vivo na conta de Ronnie Lessa, apontado como o assassinado da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes. "Uma quantia tão vultuosa depositada dessa forma suspeita – evidentemente para burlar as leis – deveria ter sido comunicado pela agência bancária às autoridades e investigado imediatamente pelo Coaf", adverto o colunista do 247, o jornalista Alex Solnik

Quando recebeu R$100 mil em dinheiro vivo, matador de Marielle já era investigado e a polícia não viu
Quando recebeu R$100 mil em dinheiro vivo, matador de Marielle já era investigado e a polícia não viu

Por Alex Solnik, para o Jornalistas pela Democracia - De acordo com nova informação do Coaf, no mês de outubro passado a conta bancária de Ronnie Lessa, o matador de Marielle segundo a investigação policial, recebeu R$100 mil reais em dinheiro vivo.

Ou seja, o valor foi depositado na boca do caixa.

Depositar tanto dinheiro na boca do caixa não é comum.

Uma quantia tão vultuosa depositada dessa forma suspeita – evidentemente para burlar as leis – deveria ter sido comunicado pela agência bancária às autoridades e investigado imediatamente pelo Coaf.

E já saberíamos o autor do depósito. E o motivo.

Mas não foi. E Ronnie já estava sendo investigado pelo crime, portanto sob a lupa da polícia. Somente agora chega essa informação. Mais uma questão obscura nesse complô.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247