Quem vai na CPI hoje?

A CPI vai dando mídia para senadores sabujos e servis como Marcos Rogério, que foi grosseiro com as senadoras, mas também revelam senadores que poderiam ser considerados de utilidade pública, como Otto Alencar, que tem domínio sobre o tema da Covid, o que fez a médica bolsonarista correr para o banheiro sem responder qual é a diferença entre vírus e protozoário

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A CPI da pandemia criou um fenômeno novo entre as prioridades do espectador comum que acompanha nos noticiários os movimentos da política. Quem vai na CPI hoje?

Nos transportes, mercados, em todos os lugares o público está interessado na CPI. Durante as sessões é normal trocar mensagens com amigos pelo WhatsApp para saber considerações e análises sobre os depoimentos. 

Fui em um hortifrúti e, entre a banca de limão e laranja, tinha uma TV ligada em um canal transmitindo a CPI, na lotérica tinha uma TV ligada em um canal transmitindo a CPI.  

Por conta da gravidade, quase 500 K mortes, a população vê a CPI como um tribunal que, até então, vem inquirindo peixes miúdos e médios, e testemunhas de um genocídio anunciado e deliberado. 

Não é só no Brasil que os acontecimentos da CPI repercutem. Jornalista do The NY Times fez uma matéria em que diz: ‘450 mil mortes é pouco para Bolsonaro’.  

A jornalista se referia à criminosa estratégia da imunidade de rebanho, defendida pelo presidente Bolsonaro. Pelas contas da jornalista, 1.4 Milhões de brasileiros, a maioria idosos e pessoas com comorbidades, morreriam para que a infecção natural fosse concretizada.  

Essas mortes seriam um alívio nos pagamentos de aposentadorias e benefícios, e também diminuiria a quantidade de pessoas que são atendidas pelo SUS. O objetivo seria implantar um Reich no Brasil, sem o ‘peso’ de idosos e doentes, que são inúteis para o presidente da república.

A CPI vai dando mídia para senadores sabujos e servis como Marcos Rogério, que foi grosseiro com as senadoras, mas também revelam senadores que poderiam ser considerados de utilidade pública, como Otto Alencar, que tem domínio sobre o tema da Covid, o que fez a médica bolsonarista correr para o banheiro sem responder qual é a diferença entre vírus e protozoário.  

O relatório final dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito, deve apresentar uma lista de crimes contra a saúde pública, esquemas milionários na compra de medicamentos ineficazes contra o vírus, responsabilidades pelo atraso na aquisição de vacinas que causaram milhares de mortes. Crimes cometidos por Jair Bolsonaro e quadrilha. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email