Tapete vermelho para Dilma

Os organizadores do Oscar deviam enviar convite para que Dilma participasse do evento. Seria um verdadeiro delírio para os progressistas e um tapa na cara dos golpistas. Quem sabe isso aconteça e nossa Presidenta pise no tapete... VERMELHO!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A indicação do documentário Democracia em vertigem, da cineasta brasileira Petra Costa ao Oscar 2020, tem deixado os golpistas com ‘as calças nas mãos’, porque sabem que o mundo está de olho no que eles protagonizaram.

Tentando dominar a narrativa, os golpistas saíram na frente com o documentário Mecanismo, de José Padilha, que mostrou um Lula acuado e uma justiça implacável. O documentário foi um fiasco de público e crítica.

A extrema direita tentou emplacar o filme Polícia Federal: A Lei É para Todos, que trata da Operação Lava Jato, do início do processo até a condução coercitiva do ex-presidente Lula, desencadeando uma série de investigações sobre a corrupção no Brasil. A produção do filme foi tratada em sigilo, a origem dos recursos nunca foram divulgados. Outro fracasso.

Para fazer sucesso no cinema, a ficção tem de ser muito bem contada, senão todos percebem a mentira. Outra forma de um filme ou documentário ser bem sucedido é contar a verdade. E foi o que aconteceu com Democracia em vertigem.

Hollywood é o símbolo épico do show business, onde artistas, diretores e profissionais das artes disputam microfones e holofotes. Um dos requisitos para ser indicado ao Oscar é a relevância que o documentário teve na imprensa americana, ele precisa ter recebido resenhas de críticos dos jornais The New York Times e Los Angeles Times.

O motivo de os golpistas estarem inconformados com a indicação é que o documentário mostra uma Janaína Paschoal vociferando, em transe com aquela história da cobra; Michel Temer é o vilão, o traidor que saiu das trevas para assombrar a democracia; Bolsonaro em modo fascista, aparece quase que soletrando o nome de um assassino ditador, como ele disse: “o terror de Dilma Rousseff”.

O deputado Eduardo Bolsonaro, o embaixador das milícias, escreveu em rede social que:  Onde chega a esquerda, visa dominar a educação e cultura principalmente. Essas indicações ao Oscar não são a toa e não se engane, se fosse um documentário mostrando a maior manifestação de rua da história do Brasil (contra o PT do Lulopetismo) jamais seriam indicados”. Eduardo precisa saber que o único Oscar comunista era o Niemeyer.

Os organizadores do Oscar deviam enviar convite para que Dilma participasse do evento. Seria um verdadeiro delírio para os progressistas e um tapa na cara dos golpistas. Quem sabe isso aconteça e nossa Presidenta pise no tapete... VERMELHO!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247