Temer treme com cassação de Cunha

E não era para menos. O presidente interino Michel Temer (PMDB) sabe que em política é preciso haver uma saída para quem está acuado. É dessa forma que se encontra Eduardo Cunha, que deverá ser cassado em agosto

Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT
Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT (Foto: Voney Malta)

E não era para menos. O presidente interino Michel Temer (PMDB) sabe que em política é preciso haver uma saída para quem está acuado. É dessa forma que se encontra Eduardo Cunha, que deverá ser cassado em agosto.

A pergunta que é feita é: Uma eventual cassação do ex-presidente da Câmara pode colocar em risco a votação de impeachment no Senado? É que Cunha pode abrir o bico e atingir diretamente o atual governante.

Circula no congresso que o deputado está irritado e sente abandonado desde que o governo dos seus companheiros de partido optou por não apoiar o seu candidato, Rogério Rosso (PSD-DF), derrotado por Rodrigo Maia (DEM-RJ), na disputa pela presidência da Câmara.

Com Rosso Cunha tinha chances de salvar o mandato. Com Maia inexiste compromisso político. Sem saída e acuado, é assim que se encontra Eduardo Cunha que, além de ter sido obrigado a renunciar à presidência da Câmara e correndo o risco de ser cassado, tem a sua mulher e filha como rés em processos nas mãos do juiz Sérgio Moro.

Para piorar o quadro, nesta quinta-feira (21) o STF começa a ouvir testemunhas de acusação de uma ação penal da Lava Jato que envolve o parlamentar. O primeiro a ser interrogado é o doleiro Alberto Yousseff.

Eduardo Cunha é acusado de receber cerca de US$ 5 milhões em dinheiro desviado de contratos de navios-sonda da Petrobras. A defesa de Cunha tentou adiar os depoimentos, mas não conseguiu.

Nos capítulos da novela da crise política, especificamente quanto ao personagem Eduardo Cunha, assistimos anteriormente o episódio "Fechando o cerco". Agora vemos "Sem saída". Há quem aposte que a próxima série será chamada de "A delação". E em seguida "Cunha atinge Temer".

Os títulos sugeridos são apostas. Por enquanto, vamos aguardar o desenrolar dos fatos, dos capítulos e das versões dessa novela que reúne ingredientes políticos e policiais.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247