Tigre com pés de barro

Parte do campo progressista insiste em dar crédito para institutos mambembes que fazem consultas por telefone ou pela internet e apontam a recuperação da aprovação do governo Bolsonaro e de sua popularidade

(Brasília - DF, 20/03/2020) Presidente da República, Jair Bolsonaro e Ministros de Estado participam de videoconferência com representantes da Iniciativa Privada.Foto: Isac Nóbrega/PR
(Brasília - DF, 20/03/2020) Presidente da República, Jair Bolsonaro e Ministros de Estado participam de videoconferência com representantes da Iniciativa Privada.Foto: Isac Nóbrega/PR (Foto: Isac Nobrega)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por todas as pesquisas feitas com metodologia científica e por institutos com tradição no mercado e nome a zelar, Bolsonaro é o presidente mais mal avaliado para este período de mandato desde o fim da ditadura militar, perdendo até para Sarney e Collor.

Mas parte do campo progressista insiste em dar crédito para institutos mambembes que fazem consultas por telefone ou pela internet e apontam a recuperação da aprovação do governo Bolsonaro e de sua popularidade.

XPs, MDAs e Paranás Pesquisas da vida (o mesmo instituto que a alguns dias do segundo turno, em 2014, registrou uma vantagem pró-Aécio de 20 pontos percentuais) passaram recentemente a divulgar também sondagens sobre a eleição de 2022 (como se isso tivesse algum valor real três anos antes), nas quais o capitão da reserva aparece como favorito.

E não foram poucas as pessoas de esquerda que se deixaram levar por essas bobagens, porque mesmo se esses levantamentos tivessem alguma seriedade, é inconcebível que se despreze a dinâmica de campanha como fator decisivo em qualquer eleição, além, obviamente, da infinita capacidade que Bolsonaro possui de fazer merda.

O presidente desde que tomou posse só fala e age para seu séquito de anencéfalos, hoje menos de um terço do eleitorado. Ele desconsidera o óbvio ululante de que como presidente da República tem o dever republicano de se dirigir o tempo inteiro a todos os brasileiros, seus eleitores ou não.

No entanto, teve gente da banda civilizada da sociedade a elogiar a estratégia bolsonarista de manter acesa a centelha do obscurantismo, cevando sua matilha diariamente com rações generosas de ódio e toda sorte de preconceito. Esses analistas ligados à militância democrática conseguem enxergar racionalidade política em uma banana para 70% da população. 

Bolsonaro só ganhou a eleição de 2018 devido a uma sucessão de manipulações à margem da lei e ao arrepio do estado democrático de direito. Para começar, o principal candidato da oposição foi preso e impedido de concorrer.

O candidato da extrema direita se negou a participar de debates e fez uma campanha imunda e criminosa, apelando para a injúria, a calúnia e a difamação contra Fernando Haddad e Manuela D’Ávila.

Tudo financiando com dinheiro de empresários, o que é vedado por lei. Além disso, escondeu sua estupidez atávica em uma enfermaria de hospital, depois de uma facada cada vez mais esquisita.  

Para meu espanto, porém, cheguei a ouvir pessoas de cabeça progressista tachando de inteligente e impecável a tática eleitoral de Bolsonaro nas eleições.

Na realidade, a postura irresponsável e genocida de Bolsonaro diante da tragédia sanitária causada pela disseminação da pandemia do coronavírus, e que caminha a passos largos para empurrar o Brasil para um desastre social e econômico sem precedentes, não devia surpreender ninguém.

Um número expressivo de cidadãos e cidadãs, em pleno confinamento, está nas janelas de suas casas a execrar Bolsonaro. Embora seja um fenômeno ainda concentrado na classes média e alta, dá para cravar que também no povão o apoio a Bolsonaro se esfarela. No entanto, se déssemos a sorte de não haver o coronavírus, mais cedo ou mais tarde Bolsonaro cairia em desgraça, porque proceder como um moleque faz parte de seu DNA. As circunstâncias que o levaram à presidência da República são singularíssimas e não se repetirão tão cedo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247